Blog

Dicas, novidades e curiosidades

11 atitudes simples que melhoram absurdamente a sua qualidade de vida

Você não precisa fazer tudo o que as outras pessoas pedem ou sugerem, e dizer “não” às vezes é necessário, então se você é uma pessoa que tem dificuldades em recusar convites e pedidos, talvez esteja na hora de trabalhar isso.

Não se trata de ser preguiçoso ou de não se importar, mas saber dizer “não” é fundamental para que você tenha o tempo necessário para cuidar da sua própria vida e dos seus projetos pessoais. Sua prioridade precisa ser você.

1 – Escove os dentes e use fio dental
O ideal é escovar os dentes duas vezes ao dia e usar o fio dental uma vez ao dia. Além de fazer bem em termos de higiene, esses dois simples hábitos são capazes de diminuir suas chances de desenvolver demência, diabetes, doenças dos rins e até alguns tipos de câncer.

2 – Olhe para o espelho e sorria
Isso pode ser feito logo depois de você escovar os dentes, e o ideal é que você segure o sorriso por 10 segundos. Parece bizarrice, mas esse é um exercício capaz de melhorar seu humor ao longo do dia.

3 – Qual é a tarefa mais importante do seu dia?
Anote a coisa mais importante que precisa ser feita ao longo do dia, e comece logo por ela. Depois, o que quer que você faça vai ser lucro e assim você evita procrastinar.

4 – Arrume a cama
Não, não foi a sua mãe que nos pagou para escrever esse texto. A verdade é que arrumar a cama é algo que melhora a sua autoestima e que vai fazer toda a diferença quando você chegar em casa depois de um dia cansado.

5 – Demonstre gratidão
Agradeça as coisas boas que existem em sua vida, aquelas que fazem com que você seja feliz – vale desde o seu trabalho até o bolo de chocolate que você tem em casa. A questão aqui é não deixar que as coisas percam a importância só porque fazem parte do seu cotidiano.

6 – Medite um pouco
Durante alguns minutos fique sentado em algum lugar calmo, de olhos fechados e prestando atenção apenas no ar que entra e sai dos seus pulmões. Essa desligada do mundo é algo que melhora sua produção de serotonina, diminui sua pressão arterial e os seus níveis de ansiedade.

7 – Dê uma chance aos podcasts
Descubra podcasts que sejam interessantes e os ouça sempre que puder. Assim você acaba aprendendo algumas coisas, mesmo que seja dentro do busão lotado ou durante seu intervalo de almoço.

8 – Saia da sua zona de conforto
Aprenda a tomar atitudes que desafiam a sua vida e tenha a coragem de fazer perguntas, iniciar conversas com pessoas novas e, inclusive, de aprender coisas diferentes também. Não se contente com o que você tem agora.

9 – Evite a bagunça
Aprenda a guardar as coisas no lugar certo logo depois de usá-las e não vá dormir se puder deixar o ambiente mais organizado em poucos minutos de arrumação. Não viver em ambientes muito bagunçados é algo que só melhora a sua qualidade de vida.

10 – Escreva
Manter um relato diário das suas conquistas e da sua rotina mesmo é algo que faz com que você se sinta motivado para correr atrás de mais progresso.

11 – Aprenda a dizer “não”.

Extraído de : MegaCurioso
 _____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:
5 sinais de que você foi feito para empreender pelo mundo
carregar_23_4_2017_às_16_20_58
Dicas para lidar melhor com as criticas

carregar_23_4_2017_às_16_16_45

10 hábitos que você precisa abandonar se quiser ser produtivo

 Quando somos produtivos, conseguimos realizar um monte de tarefas com eficiência e, consequentemente, temos melhores resultados. Entretanto, existem alguns hábitos ruins que matam a nossa produtividade sem nem percebermos. Por isso, se quiser melhorar sua produtividade, terá que abandonar estes 10 maus hábitos:
  1. Assistir televisão antes de dormir

Depois de um longo e cansativo dia de trabalho, todos tendem a se sentar na frente da TV e ficar passando pelos canais até encontrar algum programa interessante e deixar nele. Depois, vão para o quarto e continuam assistindo TV. Muitas pessoas pensam que isso as relaxa. No entanto, isso apenas as deixa ainda mais cansadas. Às vezes, você nem sequer percebe quanto tempo passou enquanto assistia aos programas da TV e acaba adormecendo tarde da noite.

Se quiser ser mais produtivo, retire a TV do seu quarto e logo notará seu sono melhorar e mais, e ainda se sentirá mais disposto ao acordar. Além disso, sentir-se disposto pela manhã certamente aumentará sua produtividade no trabalho.

Em vez de assistir a programas de TV, use o tempo antes de dormir para avaliar o seu dia e ter uma conversa íntima com seu parceiro ou parceira. Você também pode buscar o auto-aperfeiçoamento, inscrevendo-se em um curso à distância, no qual você poderá se desenvolver e aprender a se tornar mais produtivo e eficiente na sua área de conhecimento. Ou melhor, desligue a TV e invista na sua educação e na socialização em casa.

  1. Passar muito tempo nas redes sociais

 As redes sociais são ótimas para manter contato com familiares e amigos. No entanto, ao conversar, postar, compartilhar e ver várias fotos engraçadas, perdemos a noção do tempo e desperdiçamos horas navegando pelas páginas. Geralmente, antes de adormecer, decidimos checar se há algo novo nas redes sociais e acabamos dormindo muito tarde. Logo, nos sentimos cansados pela manhã e incapazes de fazer qualquer coisa que exija foco e trabalho duro. Além disso, durante o trabalho, somos interrompidos o tempo todo pelas notificações de alguém que publicou algo ou comentou na nossa atualização de status. Decidimos então checamos a notificação em vez de trabalhar e acabamos nos perdendo no mundo das redes sociais. Em outras palavras, nos tornamos menos focados no trabalho e menos produtivos.

Para ser mais produtivo, desligue as notificações e não acesse as redes sociais no trabalho. Em vez disso, em seu tempo livre você pode criar um blog e escapar da rotina diária, ao mesmo tempo em que oferece entretenimento e informações aos outros, e ainda assim estaria compartilhando e publicando fotos.

  1. Não praticar atividade física

As pessoas negligenciam a atividade física por falta de tempo. Mas, venhamos e convenhamos, todos nós temos 20 minutos por dia para nos exercitar. Antes de ir ao trabalho ou quando voltar, podemos fazer uma caminhada ou correr por 20 minutos. Pode não ser muito, mas seu corpo e mente definitivamente se beneficiarão. Se não há lugar para caminhar na sua vizinhança, você pode fazer exercícios simples na sua sala de estar. Se você tiver mais tempo, pode fazer aula de ioga, que ajuda não só o corpo, mas também a mente, aumentando o foco e a produtividade. Ao se exercitar corretamente, suas dores nas costas causadas pelo estresse e por ficar sentado o dia todo terão uma melhora significativa. Você definitivamente se sentirá melhor e mais saudável, consequentemente, mais produtivo.

  1. Ser multitarefa

 Todo mundo que consegue fazer várias tarefas ao mesmo tempo enche a boca para dizer que tem essa habilidade, alguns até consideram isso uma característica necessária às pessoas bem-sucedidas. No entanto, isso não é uma virtude e pode estar lentamente destruindo sua produtividade. Quando você tenta realizar várias tarefas ao mesmo tempo, você pode até estar concentrado e focado, mas isso não significa que você esteja focado em cada tarefa da mesma maneira. Além disso, nem todas as tarefas serão concluídas dentro do prazo e os resultados não serão tão bons.

Estar totalmente concentrado em uma tarefa de cada vez certamente lhe trará melhores resultados, porque você poderá realizá-las sem distrações. Se você estiver acostumado a fazer muitas tarefas ao mesmo tempo, tente organizar-se e fazer uma por vez, e depois comparar os resultados. Você pode se surpreender.

  1. Buscar a perfeição

Uma pessoa dedicada ao trabalho está sempre em busca da perfeição. No entanto, algumas pessoas nunca estão satisfeitas com o próprio trabalho, o que as deixa com a sensação de trabalho inacabado e muito estresse. Ao buscar a perfeição, você acaba analisando demais as coisas e se concentrando nos pequenos detalhes. Ser observador e focado nos detalhes é uma virtude, mas se você ficar prestando atenção nos mínimos detalhes, você perderá muito tempo em partes não tão importantes e, com isso, sua produtividade diminuirá e você se sentirá exausto. Esforce-se na tarefa e observe os detalhes, mas tome cuidado para não perder tempo, talento e esforço em coisas que não afetam o resultado da tarefa.

  1. Não tomar as rédeas da situação

A espontaneidade deve estar presente em nossas vidas e nem tudo deve ser previsível. Mas quando se trata de gestão do trabalho, devemos organizar nosso tempo bem. Quando você deixa as coisas acontecerem por si mesmas, o trabalho só aumenta e as tarefas se sobrepõem umas às outras. A falta de rotina leva à diminuição da produtividade, o que geralmente resulta em desordem. Aprenda a organizar seu tempo e fazer um bom plano de trabalho para melhorar a produtividade e, consequentemente, as chances de sucesso. Além disso, a chave para o sucesso e produtividade é determinar os objetivos de curto e longo prazo.

  1. Tentar ser produtivo o tempo todo

É impossível ser produtivo e focado o tempo todo. Os momentos em que alguém é produtivo dependem de cada um. Algumas pessoas são produtivas pela manhã, outras à tarde e algumas são corujas noturnas. Descubra o período em que você é mais produtivo e organize sua agenda deixando os trabalhos mais complicados para o período mais produtivo do seu dia.

  1. Fazer tudo sozinho

Muitas pessoas pensam que podem economizar muito fazendo tudo sozinhas, enganam-se. Elas estão perdendo tempo e dinheiro: em vez de trabalhar em tarefas complexas, elas se perdem fazendo coisas sem importância. Tarefas mais simples devem ser terceirizadas, uma vez que elas exigem menos esforços. Os serviços terceirizados se pagarão e você poderá completar as tarefas importantes satisfatoriamente e no prazo.

  1. Dar-se mais tempo para terminar algumas tarefas

Como todos queremos realizar as tarefas com êxito, tendemos a adiar a conclusão, porque precisamos de mais tempo para pensar sobre como obter os melhores resultados. Isso sempre leva à procrastinação, o que leva à diminuição da produtividade. Se quiser ser produtivo, você deve confiar em seus instintos, talentos e conhecimento e não questionar o seu sucesso. Não deixe sua vontade de alcançar os melhores resultados possíveis destruir você.

  1. Ser negativo e estressado o tempo todo

Aprenda a lidar com as situações estressantes, caso contrário elas afetarão negativamente sua saúde, humor e produtividade. Os sentimentos negativos evocam a falta de vontade para executar certas tarefas e você acaba realizando-as incorretamente. A receita é simples – apenas seja feliz. Evite situações estressantes e, caso apareçam, saiba como lidar com elas. Encontre uma maneira de se livrar das emoções negativas e do estresse e ganhar energia positiva. Quando você está feliz, você consegue fazer tudo com pouco esforço e se sente menos exausto depois de cada tarefa. Por trás de cada trabalho bem feito está a felicidade e uma atitude positiva.

Artigo traduzido e adaptado do site Lifehack.org.

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:
5 sinais de que você foi feito para empreender pelo mundo
carregar_23_4_2017_às_16_20_58
Dicas para lidar melhor com as criticas

carregar_23_4_2017_às_16_16_45

5 hábitos matinais para elevar sua produtividade

Você tem o hábito de se preocupar com a sua produtividade?

Eu acredito que um dos grandes segredos para que o seu dia seja produtivo e mais feliz é o estado de ânimo com o qual você se levanta. Sei que você carrega pesadas responsabilidades no trabalho, na família e essa carga, por vezes, pesa nos ombros, não é mesmo?

Nesse caso, é comum sentir um cansaço logo ao se levantar. Sabe por quê? Porque um dos primeiros pensamentos que surgem é o quão difícil será o seu dia.  Pensamentos como:

“Nossa! Vou pegar aquele trânsito”, “Hoje é dia de enfrentar o chefe”, “Aquele projeto não dará certo” … e assim vai.

Tente experimentar algo diferente:

1 – Treine o seu pensamento; sim, treine, porque se quisermos ser bons no que fazemos, temos que treinar bastante!

O seu primeiro pensamento será de gratidão: pela vida, pelo trabalho, amigos, pelas coisas simples que a vida lhe oferece. Enfim, escolha diariamente algo ou alguém para agradecer e pense positivamente sobre as suas atividades do dia. Pronto? Então, vamos para o próximo passo.

2 – Distribua sorrisos por onde passar e experimente um “bom dia” sonoro. A sua simpatia vai conquistar as pessoas ao seu redor e aumentar o seu círculo de influência.  E o que é melhor, você receberá muitos sorrisos de volta, isso lhe trará uma ótima energia!

3 – Defina a sua meta do dia: Escreva: Minha meta hoje é ________________________
(aprender tal coisa, conquistar a simpatia de alguém, vender mais X%…)

4 – Dedique os seus primeiros minutos de trabalho para planejar o seu dia, sempre se lembrando da sua meta. Você pode fazer isso no caminho para o trabalho, ou antes de sair de casa, ou quando chegar no trabalho.

Mas, por favor, NÃO registre esse planejamento só em sua mente. Escreva de alguma forma, no computador, no celular, em bloco de notas, onde preferir, mas deixe essas anotações visíveis para você todo o dia.

5 – Coloque os seus compromissos na sua agenda, com alertas que irão lembrar você  com a antecedência necessária. O simples ato de registrar na agenda já fará uma grande diferença para a escolha de suas ações diárias.

Costumo dizer aos meus coachees (clientes) que a mente é lugar apenas para inovações e criatividade. Teve uma grande ideia,  registre; busca a solução de um problema, escreva as opções que surgirem; precisa tomar uma decisão, anote todos os pontos de ganho e de perda de cada escolha possível.

Assim, suas decisões serão mais racionais e conscientes.

Se logo pela manhã você já exercita sua produtividade interior, com pensamentos positivos e sorrisos, o trânsito, o chefe e o projeto serão encarados com menor peso e seu dia será certamente mais agradável e feliz.

Um abraço de energia para você!

Wayne Valim

PS.: Muitas pessoas me perguntam se o idioma polonês é difícil, então eu gravei um vídeo diferente com uma polonesa para contar um pouco dos desafios de morar na Polônia. Assista aqui: https://youtu.be/buF4mBUOook

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:
5 sinais de que você foi feito para empreender pelo mundo
carregar_23_4_2017_às_16_20_58
Dicas para lidar melhor com as criticas

carregar_23_4_2017_às_16_16_45

Cientistas descobrem como desligar a ansiedade

Novas descobertas podem ajudar neurocientistas a localizar alvos melhores para tratamentos contra a ansiedade. As pontas das longas extensões neuronais da amígdala (azul) entram em contato com os neurônios do hipocampo (verde). Essa via de comunicação ajuda a modular a ansiedade.

Os transtornos de ansiedade – que incluem o transtorno de estresse pós-traumático, fobias sociais e transtorno obsessivo-compulsivo – afetam mais de 18 milhões de brasileiros / ou mundial: 264 milhões de pessoas no mundo. Os tratamentos disponíveis atualmente, como por exemplo, os ansiolíticos, nem sempre são eficazes e geralmente apresentam efeitos colaterais indesejados.

Para desenvolver tratamentos melhores é necessária uma compreensão mais específica dos circuitos cerebrais que geram a ansiedade, afirma Kay Tye, Professora Assistente do Curso de Neurociência Cognitiva do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

“Os alvos onde os ansiolíticos atuais agem não são muito específicos. Nós ainda não sabemos exatamente quais são os alvos para a modulação do comportamento relacionado à ansiedade”, diz Tye.

Visando descobrir melhores alvos, Tye e seus colegas descobriram uma via de comunicação entre duas estruturas cerebrais – a amígdala e o hipocampo ventral – que parece controlar os níveis de ansiedade. Ao aumentar e diminuir o volume dessa comunicação em ratos de laboratório, os pesquisadores conseguiram elevar e reduzir os níveis de ansiedade.

Tanto o hipocampo (esquerdo), necessário para a formação da memória, como a amígdala (direita), envolvida na memória e no processamento de emoções, já foram associados à ansiedade. No entanto, suas formas de interação eram desconhecidas.

Para estudar essas interações, os pesquisadores recorreram à optogenética, técnica que permite ativar ou desativar a atividade elétrica dos neurônios usando a luz. Para esse estudo, os pesquisadores modificaram um conjunto de neurônios da amígdala basolateral (BLA) dos ratos, esses neurônios enviam longas projeções para as células do hipocampo ventral.

Os pesquisadores testaram os níveis de ansiedade dos ratos medindo quanto tempo eles estavam dispostos a permanecer em uma situação que normalmente os deixava ansiosos.

Ratos são naturalmente ansiosos em espaços abertos onde são alvos fáceis para predadores, então, quando colocados em áreas amplas, eles tendem a ficar nos cantos.

Quando os pesquisadores ativaram a conexão entre as células da amígdala e do hipocampo, os ratos passaram mais tempo nos cantos de um recinto, indicando, aparentemente, que estavam ansiosos. Porém, quando os pesquisadores impediram essa conexão, os ratos se tornaram mais aventureiros e dispostos a explorar espaços abertos. Não obstante, quando os ratos tiveram esse caminho religado, eles correram de volta à segurança das bordas.

Interações complexas

Em um estudo publicado em 2011, Tye descobriu que a ativação de um subconjunto diferente de neurônios na amígdala tinha o efeito oposto sobre a ansiedade em relação aos neurônios estudados no novo artigo, sugerindo que a ansiedade pode ser modulada por diferentes pontos convergentes.

“Os neurônios que parecem virtualmente indistinguíveis uns dos outros em uma única região podem se projetar para regiões diferentes e essas diferentes projeções podem ter efeitos totalmente opostos na ansiedade” – explica Tye – “A ansiedade é uma característica extremamente importante para a sobrevivência, então faz sentido querermos alguma redundância no sistema, alguns caminhos diferentes para modular a ansiedade”.

Este novo estudo – publicado na Neuron – contribui significativamente para a compreensão dos cientistas sobre os papéis da amígdala e do hipocampo na ansiedade e oferece orientações para a busca de novos alvos para os ansiolíticos, diz Joshua Gordon, Professor Associado do Curso de Psiquiatria da Universidade Columbia.

“O estudo descreve uma conexão específica no cérebro relacionada à ansiedade. Pode-se imaginar, então, ao identificar os componentes dessa conexão – proteínas sinápticas ou canais iônicos, por exemplo – que são particularmente importantes para a conectividade entre amígdala e hipocampo. Se tais componentes específicos puderem ser identificados, eles seriam possíveis alvos para novas drogas anti-ansiedade”, diz Gordon, que não fez parte da pesquisa.

Em estudos futuros, a equipe do MIT planeja investigar os efeitos da amígdala em outros alvos do hipocampo e do córtex pré-frontal, que também tem sido associado à ansiedade. Decifrar esses circuitos pode ser um passo importante para encontrar melhores medicamentos para tratar a ansiedade.

 

Texto traduzido e adaptado do site FutureTimeline.net.

Tradutora Susi Lopes.

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:
3 verdadeiros tesouros da neurociência para quem quer evoluir no trabalho
carregar_2_4_2017_às_10_46_00
8 hobbies que impulsionam a produtividade segundo a ciência

Brain_Waves

13 hábitos que causam stress sem que você perceba

 1. Você não deu risada hoje.

Se você não se lembra da última vez que riu até chorar, é melhor repensar suas escolhas de vida – e assistir a esse vídeo. Uma boa gargalhada alivia o stress, estimula a circulação sanguínea, relaxa os músculos, melhora o sistema imunológico e alivia a dor.

2. Você não está indo à academia.
Em um estudo com ratos, aqueles que se exercitavam responderam a um banho gelado com um rápido acesso de ansiedade, seguido de calma. Isso sugere que o cérebro fica mais bem preparado para lidar com o stress quando o corpo está fisicamente ativo. Fazer exercícios regularmente em vez de inventar desculpas pode ajudar você a reduzir seu stress. Além disso, sua aparência vai melhorar.

5. Sua vida sexual está deixando a desejar.

Se algo anda lhe preocupando, talvez você não tenha dado muita atenção a esse item, mas deveria! Sexo é a maior fonte de alívio de tensões que você vai encontrar nessa lista. Além de contar como exercício físico, ele pode ajudar você a relaxar. Pesquisadores da Universidade de Princeton descobriram em um estudo que ratos que copulavam diariamente apresentavam níveis menores de hormônios do stress. Além disso, já se sabe há muito tempo que macacos bonobos usam o sexo como uma ferramenta para gerenciar o stress.

6. Sua respiração precisa melhorar.

A respiração acelerada é uma resposta natural ao stress, mas se você não está diante de um predador voraz, ela se torna sua inimiga. Descubra um exercício respiratório que funcione para você e lembre-se dele da próxima vez que começar a se preocupar com algo.

7. Você está tentando lutar contra seus fatores de stress.

O esforço é nobre, mas a verdade é que o mais racional a fazer é evitar o que estressa você, sempre que possível. Não gosta de multidões? Pare de ir ao supermercado no sábado à tarde. De acordo com a Clínica Mayo, você também pode evitar pessoas específicas. Talvez você já esteja fazendo isso com seus desafetos, mas agora não precisa sentir culpa ao fugir daquele colega de trabalho insuportável.

8. Você não diz nada de bom sobre si.

Reforçar constantemente sua autoconfiança (“tudo vai dar certo”, “não vou derrubar o bebê”) ajuda a reduzir a ansiedade. O cérebro é uma ferramenta poderosa: use-o.

9. Você está dormindo mal.
Se são 4h30 da manhã e você sabe que vai ter que se arrastar para fora da cama e ir para o trabalho em algumas horas, saia do Netflix. Não é hora de começar a assistir a uma série. Manter hábitos de sono regulares e saudáveis protege contra doenças cardíacas, alguns tipos de câncer e muitas outras doenças crônicas, além de melhorar sua percepção sobre sua vida e sobre si.

10. Você não consegue gerenciar seu tempo.

Se o número de tarefas que lhe aguardam em um dia comum é enlouquecedor, pense em quanto tempo você está dedicando a cada atividade. Planejar seu dia e estabelecer prioridades são coisas que podem ajudar nas suas decisões sobre o seu tempo, gerando uma sensação de maior controle sobre a vida. Se a procrastinação na internet é seu ponto fraco, essa extensão para o Google Chrome pode monitorar quanto tempo você gasta em cada site.

11. Você está aceitando mais tarefas do que dá conta.

Não tem problema em dizer “não” de vez em quando para aliviar a carga de suas responsabilidades individuais. Desculpe, você não pode levar seu primo ao aeroporto, porque você já tem um jantar programado há semanas. Sinto muito, você não pode fazer um bolo para a festa de fim de ano da empresa porque vai precisar de muito tempo para prepará-lo.

12. Você não desgruda do seu celular.

Pare com isso. Pare de olhar para a tela. Você vai ficar bem (volte ao item que fala sobre mantras pessoais). Pesquisas mostram que a pressão de estar disponível para responder e-mails, mensagens de texto, telefonemas e estar a par de tudo pode ser demais. Faça um esforço consciente e desligue seu celular e seu computador durante algumas horas do dia.

13. Você acabou de atingir um objetivo importante.

… Mas por algum motivo você ainda está surtando! Muita calma (de qualquer forma, esperamos que você esteja atingindo objetivos de vida diariamente). Estudos com estudantes universitários demonstraram que metas “compassivas” (que beneficiam outras pessoas além de você) geram maior redução da ansiedade pós-conquista do que as mais individualistas. Em outras palavras: seja uma pessoa melhor, pois isso vai fazer com que se sinta melhor também.

13.1. Mais uma dica:

Se você precisar de um alívio extra, experimente mascar chiclete, fazer carinho em um filhote fofinho ou preparar uma xícara de chá. Já está se sentindo melhor?

Artigo extraído do site Michael Page.

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:
3 verdadeiros tesouros da neurociência para quem quer evoluir no trabalho
carregar_2_4_2017_às_10_46_00
8 hobbies que impulsionam a produtividade segundo a ciência

Brain_Waves

Pessoas inteligentes se afastam das más notícias

Você tem o hábito de ler ou assistir a más notícias? A corrupção no mundo político, a falta de segurança nas ruas, a crise econômica, assassinatos, atentados…
Pare um pouquinho e pense em como isso afeta o seu humor: você fica triste, bravo, furioso, revoltado, sem esperança, vontade de jogar a toalha? Em mim, isso faz muito mal, por isso quero compartilhar como lido com essa situação no meu dia a dia neste vídeo aqui:

 

**Não sei se você viu o homem passando de bike na hora da gravação…rs… Fui pega de surpresa, mas deixei aí no vídeo para você ver o que pode acontecer quando estamos gravando na rua… **

Bem, mas isso não tirou a seriedade do assunto e quero refletir um pouco mais com você que me acompanha aqui na newsletter.

Não resta dúvidas de que somos mais atraídos por más notícias, é por esse motivo que as mídias nos enchem de tragédias e desgraças que acontecem pelo mundo.

Você pode até pensar que é impossível se afastar das tragédias, porque elas estão por toda parte, é só acessar as redes sociais e vai ver um monte de desgraceiras… mas já parou pra pensar que as redes sociais são feitas de algoritmos, programas que fazem com que apareça para você aquilo que você mais acessa? Se você dá um clique num post com uma má notícia, pronto, já era! Basta fazer o teste, clique num post sobre saúde, por exemplo, já, já estará recebendo um monte de outros sobre o mesmo assunto ou similar.

Uma boa pergunta para se fazer nessas horas é: “Será que eu tenho o poder de mudar aquilo que me entristece?” E a resposta é: “Sim!” Então, comece já! Qual será o primeiro passo? Primeiramente, caia fora dessa vibe. Isso te consumirá e ao final do dia só encontrará cansaço e frustração, porque tudo que pensou em fazer não aconteceu, você se distraiu demais se consumindo com isso.

Todo bom hábito puxa outros bons hábitos (como expliquei no vídeo – https://www.youtube.com/watch?v=FBYxzEuoi_s), todo mau hábito puxa outros maus hábitos, notícias ruins, reclamação, fofoca… queda de produtividade e de resultados.

Você é o que você pensa, se pensa que está tudo ruim, por que agir para mudar se não há mais esperança? Sobra o conformismo e daí tudo estará mesmo acabado.

Eu tenho alguns hábitos que me ajudam muito nessa luta diária. Veja o que acha!

1 – Não assisto jornal na TV, eu escolho em alguns sites as notícias que quero conhecer, buscando analisá-las para entender o impacto disso na minha vida, da minha família e na vida dos meus clientes. A pergunta é: posso fazer alguma coisa para mudar esse cenário? Se não, caio fora.

2 – Não repasso e não divulgo qualquer mensagem negativa, nenhuma sequer, nem sobre política, tragédias, preconceito, piadas que constrangem, pegadinhas com pessoas simples, por mais bobinho e inocente que seja, deleto tudo!

3 – Sempre me faço 3 perguntas:
– Posso fazer algo para mudar essa situação?
– Isso vai ajudar alguém?
– O que posso fazer para que essa notícia não afete a mim, a minha família, clientes e amigos?

Lembre-se, você é um poço de energia, boa ou ruim…. canalize-a para aquilo que dê fruto!

E se quer propagar algo, espalhe o vírus da esperança, do amor, do bem-estar e verá o mundo a sua volta se transformando para melhor!

Wayne Valim

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:

 

Ciência explica por que falamos mal dos outros

carregar_15_2_2017_às_21_46_56-620x384

Trabalho na medida – fazer menos para fazer menor

Quanto tempo do seu dia você passa trabalhando? Se já refletiu o mínimo sobre o assunto – e toda vez que falta um tempinho na nossa agenda espremida a gente acaba mesmo pensando nisso -, percebeu que essa resposta tende a ser um número maior do que aquele que você gostaria. Não porque necessariamente você não goste daquilo que faça. Pode até ser que esteja contente com o seu emprego atual – e vamos supor que você realmente esteja. Mesmo assim, o resultado dessa equação (horas de trabalho real x horas de trabalho ideal) tende a ser negativo. No final do dia, a impressão é que passamos tempo demais na frente do computador, em reuniões intermináveis, recebendo ligações, elaborando relatórios… e a nossa rotina de labuta parece nunca ser suficiente para darmos conta de tudo. Essa sensação de dever não cumprido tem a ver, talvez, com a mesma pergunta do início desse parágrafo, mas com uma leve reformulação: quanto tempo do seu dia você passa, efetivamente, trabalhando?

Para responder, vamos tentar reconstituir a sua rotina de trabalho: você chega, liga o computador e vai pegar uma água. Dá uma olhada rápida em cima da mesa para ver o que ficou do dia anterior e checa e-mails. À medida que responde as mensagens mais importantes, seus colegas vão chegando e papeando sobre o que fizeram de ontem para hoje. Após alguns (muitos?) minutos de conversa, você começa a trabalhar no relatório do mês e se lembra de uma reunião importante. Depois de uma hora e pouco de reunião, volta para a mesa, lê mais e-mails e trabalha. Logo é a hora do almoço. Na volta, relê e-mails, troca ideia com seus colegas sobre aquele projeto, fala com seu chefe, vai resolver um problema em outro departamento e (finalmente) volta para a sua mesa para terminar o relatório. Mas já é hora de ir embora e a tarefa fica para amanhã. Pois bem, não é de estranhar que você volte para casa com a sensação de o dia não ter rendido como deveria. Por mais estranho que pareça, a verdade é que não conseguimos trabalhar efetivamente no nosso local de trabalho. E essa constatação, tão bizarra quanto lógica, está abrindo novos caminhos para que possamos repensar a nossa relação com o batente.

Nova forma

Um deles é dos amigos e programadores norte-americanos Jason Fried e David Heinemeier Hansson, que criaram uma empresa de softwares que se tornou uma referência até mesmo para a maioria das companhias acostumadas a atingir o primeiro lugar em famosos rankings de “melhores para se trabalhar”. Isso não significa que eles oferecem um salário milionário nem que permitem que seus funcionários tenham 90 dias de férias. O diferencial é que eles investiram na produtividade de seus colaboradores – e, principalmente, na forma de eles a alcançarem. A primeira constatação diz respeito aos novos anseios dos profissionais, que mudaram muito no decorrer dos últimos anos.

Segundo a dupla, os profissionais não estão mais interessados em ganhar dinheiro a qualquer custo nem buscar estabilidade em uma companhia onde não se sentem felizes. “Eles querem fazer algo que amam e ser pagos por isso”, escrevem na apresentação de Rework (“Retrabalho”, em tradução livre), livro recém-lançado nos Estados Unidos, ainda sem edição no Brasil. Até aí, nenhuma novidade, né? Mas, para os jovens empresários, o mais importante é que eles “querem poder trabalhar”.

Se você sempre fica até mais tarde na empresa e trabalha aos finais de semana, não significa, necessariamente, que tem muita coisa a fazer. É porque você não está fazendo o suficiente no seu trabalho e a razão disso são as interrupções, segundo Fried e Hansson. Para eles, a maioria das pessoas consegue trabalhar melhor no início da manhã ou no final da tarde. “Não é coincidência que esses sejam os períodos em que há menos pessoas à nossa volta”, justificam. “Quanto mais gente ao redor, mais interrupção, e as interrupções acabam atrapalhando e quebrando a rotina. No modelo que temos hoje, estamos fadados a um esquema em que você começa, para, começa, para. E isso não é ruim só para a empresa mas também para o profissional, que passa a ficar cada vez mais descontente com o próprio desempenho e desmotivado.”

O consultor de empresas norte-americano Tony Schwartz concorda com a visão de que “a forma como estamos trabalhando não está adiantando”. Essa, aliás, é a frase-título de seu livro, que também vem engrossar a lista de lançamentos que não param de chegar ao mercado editorial gringo para discutir esse novo trabalho.

Menos é mais

Para ele, vivemos em uma era em que, mais do que nunca, as informações estão muito disponíveis e a velocidade das coisas aumenta exponencialmente, o que nos causa um senso de urgência permanente e uma distração sem fim. “Nós temos mais clientes para atender, mais e-mails para responder, mais telefonemas para retornar, mais reuniões para participar e mais tarefas para fazer. Se não damos conta de tudo, nos sentimos menos capazes e, consequentemente, menos realizados”, afirma Schwartz. E realização é palavra de ordem hoje para os profissionais. Todo mundo quer trabalhar para se sentir completo e feliz, acima de qualquer coisa.

Foi em busca disso que o fotógrafo Everett Bogue trocou um emprego bem-sucedido na revista New York por uma rotina mais pacata e tranquila. Cansado da correria das redações, decidiu trabalhar menos. “Eu não via mais sentido em ficar sentado em uma estação de trabalho pelo resto da vida. Hoje, trabalho cerca de duas horas por dia, e o resto do meu tempo me dedico a projetos pessoais, como aprender e praticar ioga, por exemplo”, conta. O estilo de vida minimalista adotado por Bogue mudou suas relações, inclusive com o dinheiro – já que passou a ganhar bem menos para se sustentar.

Ele se tornou o propagador de um modo de vida em que viver com menos é, realmente, mais. Lançou um livro (A Arte de Ser Minimalista, sem edição no Brasil) e um blog (farbeyondthestars.com), em que conta sua experiência sobre como é possível ter uma vida mais simples. “Muitos trabalhos são focados em criar porcarias para as pessoas consumirem. O meu foco é criar esperança para quem quer uma vida melhor”, diz. “As pessoas trabalham muito para comprar as coisas que acham que precisam. Mas, quando se dão conta, percebem que não querem comprar e pagar por aquilo que, no fundo, nem precisam.”

Consumir menos, para ele, é uma forma de liberdade, pois não exige que você se mantenha em um emprego para ter de bancar um estilo de vida que escolheu. “As pessoas estão percebendo que não precisam – e nem querem – trabalhar feito loucas para comprar o que veem pela frente e podem ter uma relação mais agradável com o ofício que escolheram.”

Essa nova conscientização tem a ver com a morte anunciada do mito do workaholic. Muito tempo visto como o herói, o cara que ficava até bem tarde no escritório, só sabia falar de trabalho na happy-hour da firma e mal tinha tempo para se dedicar à família e aos filhos era considerado o profissional ideal. Durante anos, a nossa cultura celebrou o workaholic, mas, agora, percebeu-se como esse modelo é desnecessário – para não dizer estúpido. “Trabalhar mais não significa que você se preocupa mais ou faz mais coisas. Significa simplesmente que você trabalha mais”, concluem Fried e Hansson. O verdadeiro herói consegue dar conta dos afazeres para chegar em casa a tempo de brincar com os filhos e não precisa desmarcar a pelada semanal porque ficou preso no escritório. É aquele que prima por ter uma vida fora do ambiente de trabalho – e assim tem tempo livre para viver e até trabalhar melhor.

Herança desgastada

Essa mudança de mentalidade é gradual, claro. Ainda há empresas que acham que seus funcionários precisam ser os bitolados que praticamente fazem do escritório a sua casa. É uma herança cultural que nos foi legada através dos séculos, portanto é compreensível que leve um tempo para se modificar. “Vivíamos na sociedade industrial, onde éramos ‘mão de obra’ e o bom operário deveria deixar o cérebro e as emoções em casa”, afirma Marcos Cavalcanti, coordenador do Crie (Centro de Referência em Inteligência Empresarial) da UFRJ. “Hoje, vivemos em uma sociedade em que o conhecimento se transformou no principal fator de produção de riqueza, e a criatividade e a capacidade de inovar são essenciais. O drama é que nosso sistema educacional e a maioria das empresas continua a funcionar como se ainda vivêssemos na sociedade industrial.”

Prova disso é o horário de trabalho. Por que temos de trabalhar todos na mesma hora? “Porque era assim na fábrica”, justifica. “Para que ela pudesse funcionar, todos tinham de estar nela na mesma hora. Isso não faz mais sentido hoje, pois a atividade industrial representa apenas 15% do trabalho no Brasil. Fazermos todos o mesmo horário só serve para termos engarrafamentos diários”, diz Cavalcanti.

Mas essa constatação não vai fazer com que as empresas passem a adotar horários flexíveis e mudem seus ideários, há anos resguardados em missões e visões cunhadas por consultorias que cobram caro demais para isso. Essa nova relação com o trabalho é uma revolução silenciosa, que começa a tomar corpo nas empresas pequenas, mais fáceis de se adaptarem ao novo cenário, como a de Fried e Hansson. As ideias defendidas por eles talvez pareçam ideológicas demais para as grandes corporações e multinacionais que, acima de tudo, precisam seguir modelos globais de organização corporativa.

A saída para uma nova relação com o trabalho, defende a dupla, pode começar com você e a sua forma de lidar com o ofício de todo dia. Se as interrupções acabam por minar sua atenção e produtividade, tente se programar para buscar sua “zona de isolamento”. Se seu trabalho (e seu chefe) permite, negocie horários mais flexíveis para executar suas tarefas. Ou decrete um período do dia que você não vai responder a e-mails, atender a ligações e nem marcar reuniões – e, lógico, avise seus colegas e clientes. “Também vale lançar mão de ferramentas de comunicação passiva, como e-mail, que não requer uma resposta imediata. Assim, as pessoas podem dar retorno quando for mais conveniente para elas”, indicam Fried e Hansson. Ou faça dos primeiros ou últimos períodos do dia seu “momento de solidão” para que você possa trabalhar de verdade.

Confesso que esta reportagem foi escrita meio assim, nesse esquema de para, retoma, para, retoma. Aqui, na redação, nem sempre é fácil se concentrar. Para terminar o texto, cheguei mais cedo dois dias seguidos, quando o pessoal ainda devia estar tomando café da manhã em casa (e fui embora enquanto eles estavam às voltas com fotos e textos). Foi o meu jeito de conseguir deixar meus afazeres em dia e ter a sensação boa de dever cumprido. Buscar essa flexibilidade e essa realização depende muito de nós. Eu, pelo menos, estou trabalhando para isso.

Texto extraído de Vida Simples

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

Compartilhar

https://www.facebook.com/sharer/sharer.php?u=http://www.waysup.com.br/quer-morar-na-europa-estes-sao-os-10-paises-que-oferecem-vistos-de-forma-mais-simples-e-barata/;src=sdkpreparse

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

Conteúdo relacionado:

Ter uma meta na vida traz longevidade

adventure-babe-best-friend-grunge-Favim.com-2615737-610x384

 

 

 

 

 

 

Estudo revela o que pode tornar um emprego entediante

carregar_18_4_2017_às_09_01_47-620x384

 

 

 

Ciência revela que perdoar faz bem a saúde

Só de ler a palavra “perdão” a gente já lembra de alguém que pisou na bola. A Greater Good Science Center da Univerdidade de Berkeley, Califórnia, define perdoar como ato consciente de esquecer o ressentimento contra alguém ou deixar de lado o desejo de vingança. Uma matéria publicada no Huffpost mostra que vários estudos comprovam que relevar traz benefícios à saúde. Aqui estão alguns deles.

1 – Vida longa

O estudo de 2011 feito pelo Jounal of Behavioral Medicine aponta que pessoas que procuram liberar perdão vivem mais.

2 –  Menos estresse

Perdoar de verdade pode reduzir o estresse e conter o nervosismo. De acordo com a diretora da Clínica de Consultas de Transtorno de Humor para Adultos do Hospital Johns Hopkins, Karen Swartz, a gente cria um fardo físico quando estamos magoados ou desapontados.

3 – Seu coração agradece

Em 2011, um estudo feito pelo Jornal Personal Relationship mostrou que quando há perdão, as pessoas envolvidas apresentam redução na pressão arterial.

4 – Benefícios no sistema imunológico

Portadores do vírus HIV que perdoaram alguém, de verdade, apresentaram um aumento no nível de CD4, são células consideradas positivas para o sistema imunológico. Esses são dados de uma pesquisa da Sociedade de Medicina Comportamental.

5 – Fazer as pazes ajuda a perdoar a si mesmo

Pesquisadores da Universidade de Baylor constataram que quando você recebe perdão é mais fácil perdoar a si mesmo.

Extraído de : Revista Pais e Filhos
_____________________________

Gostou? Compartilhe:

 

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:

4 atitudes que só levam você ao fracasso, segundo especialistas

um

 

 

 

 

 

5 formas de ensinar seu cérebro a ser mais feliz

RENEW_01-09_6.0.indd

 

 

 

 

 

0

Torne-se imediatamente mais organizado

Um especialista em produtividade diz que a regra ‘faça agora’ vai torná-lo imediatamente mais organizado.

Você provavelmente já deve ter ouvido algum especialista em produtividade falar sobre a importância de fazer uma lista de coisas a fazer, um cronograma ou pelo menos um planejamento diário.

Isso faz sentido, mesmo porque quando você chega ao trabalho pela manhã, você não quer gastar uma hora pensando no que fazer primeiro. E, no entanto, às vezes, todo esse planejamento e programação pode gerar efeito negativo. É por isso que eles são mais bem utilizados em conjunto com a regra ‘faça agora’.

Essa regra foi criada por Josh Zerkel, diretor de comunidade global e treinamento da Evernote e um organizador profissional certificado.

Quando me encontrei com Zerkel em maio, ele disse que ensina a regra a muitos de seus clientes:

“É bastante simples”, afirma Zerkel. “Se você pode fazer algo agora mesmo, sem ter que parar e depois começar de novo mais tarde, faça-o agora!”

Considere a regra de Zerkel uma versão alternativa da ‘regra dos dois minutos’, que é a criação do autor de bestsellers David Allen: Se uma tarefa demora dois minutos ou menos para ser concluída, faça-a agora.

Zerkel disse que não importa se a tarefa vai demorar dois minutos ou cinco, se você tiver tempo para fazê-la agora, finalize-a.

A regra ‘faça agora’ funciona por duas razões principais:

Por um lado, impede a procrastinação.

“Eu não sou um grande fã do observar, rever e planejar metodicamente”, admite Zerkel. “Se algo é curto, termine logo.”

Isto é algo de que eu sou constantemente culpada, reservo um horário no meu calendário para enviar uma resposta rápida a um e-mail desagradáve, mas quando chega a hora, estou tão exausta que acabo deixando para o dia seguinte.

A segunda razão pela qual Zerkel disse que a regra funciona é que terminar uma tarefa por menor que seja “dá a sensação de produtividade e dinamismo: ‘Estou terminando as tarefas!’, até que você chega às tarefas maiores e mais desafiadoras.”

Assim que você dispara uma resposta a esse e-mail, organiza a pilha de coisas na sua mesa ou elimina qualquer coisa que esteja na sua lista de coisas a fazer há muito tempo, você vai se sentir motivado para enfrentar as coisas maiores e mais difíceis.

Texto traduzido e adaptado por Susi Wayne Lopes, redatora da Ways Up, a partir do artigo de Shana Lebowitz no Business Insider: http://www.businessinsider.com/do-it-now-rule-makes-you-more-organized-2017-5

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter

Conteúdo relacionado:

Organização pessoal melhora a qualidade de vida

or1

 

 

 

 

 

Ser organizado é ser mais produtivo

or2

 

 

Quer morar na Europa? Estes são os 10 países que oferecem vistos de forma mais simples e barata

Boa parte dos países do mundo possuem programas de incentivo a investimentos de estrangeiros, oferecendo vistos permanentes a pessoas de fora que aplicarem determinadas quantias em certos formatos. Dependendo da localidade, é mais fácil e mais barato obter a cidadania desta maneira.

Um levantamento feito pela empresa de consultoria de cidadania Henley and Partners para o Business Insider descobriu quais são os requerimentos para o oferecimento de vistos a estrangeiros em diversos países e organizou-os do mais simples e barato para os mais exigentes. Confira, a seguir, os 10 países europeus onde é mais fácil viver sendo investidor:

1. Áustria

Há 10 tipos de permissão de residência na Áustria que não exigem investimento e podem ser usados como forma de circular livremente pela área que faz parte do acordo de Schengen.

2. Bélgica

Também não existe a necessidade de investir para conseguir um visto belga, cuja emissão demora cerca de dois meses. Uma proposta de emprego no país é o suficiente para conseguir um visto de moradia.

3. Portugal

Há três maneiras simples de conseguir residência em Portugal: abrir um negócio que gere 10 empregos; transferir um milhão de euros a um banco nacional do país ou comprar uma casa de no mínimo 500 mil euros.

4. Malta

Ter em seu nome uma propriedade de 275 mil euros é o suficiente para poder morar em Malta, onde a taxa fiscal para residentes é de 15%.

5. Espanha

Assim como em seu irmão Ibérico, para conseguir um visto de moradia espanhol basta comprar uma casa de 500 mil euros. Outra opção é aplicar 2 milhões de euros no programa de títulos do governo local.

6. Letônia

Uma permissão temporária de moradia na Letônia “custa” um imóvel de 250 mil euros somado a uma taxa de 5% paga ao governo.

7. Reino Unido

Caso tenha dinheiro para arcar com os altos custos de vida do Reino Unido, um investidor pode aplicar 2 milhões, 5 milhões ou 10 milhões de libras, dependendo da categoria do programa que melhor se enquadrar às expectativas.

8. Jersey

A ilha requere investimento mínimo de 125 mil libras ao ano para conceder visto permanente, mas só aceita pessoas cujos ganhos superem 625 mil libras.

9. Chipre

Para morar no Chipre, um estrangeiro precisa comprar uma propriedade que valha mais de 300 mil euros. Quem tiver o visto de residência paga apenas 12,5% em impostos para abrir um negócio.

10. Grécia

Investidores que conseguirem o visto tipo “D” (estadia de longo prazo), investidores podem solicitar um para moradia ao adquirir propriedades com valor total de 250 mil euros.

Artigo extraído do site Infomoney.

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:
Dicas para construir uma carreira de impacto
Qualificar-resultados
Como conseguir um horário na agenda de pessoas ocupadas demais para você

tiempo-agenda