Blog

Dicas, novidades e curiosidades

Planejamento de carreira não é autoajuda

Para tudo na vida a gente planeja, e isso é absolutamente normal. Por que, então, quando o tema é “planejamento de carreira”, muitos associam com autoajuda?

Quando tem um período de férias ou um feriado prolongado se aproximando você já sabe exatamente o que vai fazer. Se vai viajar, as reservas estão feitas, passagens compradas, ou carro abastecido e revisão em dia, malas prontas é só partir. Se vai ficar em casa, ver a família, fazer um passeio e aproveitar a cidade mais vazia, já tem um plano traçado, nem que esse plano seja, simplesmente, fazer nada. Para tudo na vida a gente planeja, e isso é absolutamente normal. Por que, então, quando o tema é “planejamento de carreira”, muitos associam com autoajuda?

Imagine a sua carreira como uma escada, onde o último degrau é onde você quer chegar, o que você realmente quer conquistar. O planejamento são todas as ações que você toma para alcançar o último degrau. Desde o curso na universidade, as atividades extracurriculares, a viagem de intercâmbio. Tudo precisa ser planejado para que, dentro de um período estimado, você chegue ao topo da escada.

Uma coisa interessante é que, ao subir um degrau e olhar para baixo, você pode refletir o que te fez avançar e usar dessa experiência para planejar o próximo degrau.

E o importante é: suba um degrau por vez.

Planejar requer paciência. Ainda falando sobre a escada, é importante ter em mente que, para subir de um degrau para outro, podem ser necessários anos e anos de trabalho, mas tudo isso faz parte do aprendizado. Há algumas habilidades que somente são desenvolvidas com o passar do tempo. Um profissional experiente, em geral, reage de forma mais tranquila aos atritos do dia a dia, pois ele sabe que determinadas discussões não vão levá-lo a lugar nenhum. Como ele sabe? Porque já passou por isso antes. Assim, não adianta pular etapas. Todo degrau, por mais simples que seja, será importante para a construção de sua bagagem profissional e fará a diferença quando, lá em cima, você olhar para tudo o que fez para atingir seu objetivo.

Esteja, no entanto, disposto a alterar o curso de sua escada. Um plano feito aos 18 anos, por exemplo, pode não fazer sentido quando você chegar aos 30, 35. Assim, revisite sempre sua estratégia e adeque suas ações de acordo com os novos objetivos.

Não deixe para amanhã!

Sabe o ditado “não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”? Quando falamos de carreira, amanhã pode, sim, ser tarde demais. Como é a sua escada? E qual é o seu próximo degrau?

 

Autor Fernando Mantovani é diretor geral da Robert Half, extraído e adaptado de Exame

 

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

 

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:

Como fazer um planejamento pessoal eficiente

 

 

 

 

 

Mulher: 3 lições para chegar ao topo

No dia internacional da mulher, as discussões sobre igualdade de gênero e o número de mulheres na liderança vêm à tona.

E realmente é um bom momento para refletir, afinal, as pessoas estão mais abertas ao assunto.

Quando pensamos quão limitadas eram as oportunidades profissionais para nossas mães e avós, realmente temos algo a comemorar. Mas quando olhamos para a disparidade entre homens e mulheres, ainda temos inúmeros problemas e muito a conquistar, especialmente quando se trata da equidade entre homens e mulheres em posições de destaque.

E a conclusão é: As mulheres não estão chegando ao topo de suas profissões em nenhum lugar do mundo. E os números são muito claros.

Os resultados do mais recente relatório do Global Gender Gap, divulgado em novembro de 2017, mostram que a desigualdade de gênero voltou a crescer pela primeira vez no mundo, depois de uma década de avanços.

O estudo do Fórum Econômico Mundial aponta que, caso seja mantido o ritmo atual, será preciso um século para reduzir a diferença de gênero em escala global. Em 2016, essa expectativa era de 83 anos.

Mas exemplos fantásticos como o da Islândia nos enchem de esperança: A nova lei islandesa torna efetivamente ilegal pagar salários mais altos a homens, entre funcionários que exerçam funções semelhantes. A legislação entrou em vigor em 1° de janeiro de 2018.

Na contramão da Islândia, vemos o Brasil, que em 2017 caiu para a 90ª colocação no ranking, em um universo de 144 países. Em 2016, estava em 79º e em 2015, em 85º ,quando o assunto é a equivalência de salários entre homens e mulheres em cargos semelhantes.

A questão é “Como mudamos essa situação? Como mudamos esses números?”

Eu acredito que o único caminho ou o mais eficaz é o que podemos fazer como indivíduos.

E eu gravei este vídeo, em que compartilho com você algumas lições de vida que tenho comigo após mais de duas décadas atuando em grandes corporações no Brasil.

Assista e me diga sua opinião a respeito.

Eu não sou dona da verdade, mas acredito realmente no que digo nesse vídeo e sei também que há inúmeras mulheres desafiando as estatísticas e mostrando o seu valor.

Ninguém chega a um cargo de liderança escondendo sua capacidade, ou mesmo não acreditando no seu próprio sucesso.

Eu quero acreditar que as gerações futuras possam ter escolhas, e se as mulheres dessas gerações escolherem estar no mercado de trabalho, que elas cheguem ao topo de suas profissões, sem culpa, atribuindo o seu sucesso a elas mesmas.

Feliz dia da Mulher!

Wayne Valim

PS.: Gostou do vídeo? Escolha uma mulher e compartilhe. Vamos homenageá-la! 😉

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

 

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:

Mulheres que ensinam mulheres a programar

 

 

 

 

 

 

Mulheres que ensinam mulheres a programar

Contra a desigualdade de gênero na tecnologia, iniciativas como PrograMaria, MariaLab, RodAda Hacker e #MinasProgramam aproximam as mulheres da linguagem dos códigos.

No século XIX, a matemática Ada Lovelace entrou para a história ao escrever o algoritmo que fundou as bases da ciência da computação. Quase duzentos anos depois, soa até irônico lembrar a importância desta mulher para a tecnologia e encarar os dados que revelam a falta de participação de mulheres no setor. Segundo a pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), realizada e 2015, dos mais de 580 mil profissionais da T.I que atuam no Brasil, apenas 20% são do sexo feminino.

Inspiradas em iniciativas estrangeiras como Mothership, HackerMoms e PyLadies, projetos brasileiros organizam cursos, encontros e palestras que aproximam as mulheres da tecnologia e as ensinam a programar. Muitas dessas atividades são gratuitas e destinadas a quem não faz nem ideia do que é java, PHP e python. Reforçando a proposta de inclusão, os programas ainda oferecem atividades direcionadas a mulheres negras e moradoras de comunidades. “Para nós, a tecnologia também tem um viés político, por isso é fundamental que essas atividades circulem além dos espaços privilegiados das cidades”, diz Silvana Bahia, facilitadora da RodAda.

Apesar de pequenas, essas iniciativas mobilizam uma quantidade considerável de mulheres interessadas em aprender mais sobre tecnologia. “O diferencial de projetos pequenos como o nosso é que podem ser feitos por quem tem realmente vontade de fazer, e isso é muito gostoso”, acrescentam as integrantes do #MinasProgramam.

Se quiser aprender a programar ou participar de atividades relacionadas a tecnologia corra atrás desses projetos:

MariaLab

MariaLab é um coletivo feminista com a proposta de criar um hackerspace (“espaço hacker”) que promova atividades para mulheres, inclusive as transgêneros. A MariaLab organiza encontros e eventos gratuitos para quem quer trocar informações, fazer networking ou participar de grupos de estudos.

RodAda Hacker

RodAda Hacker facilita encontros que incluem mulheres e meninas na tecnologia, através de oficinas colaborativas especialmente desenhadas para o público feminino. Os encontros, para quem quer imaginar e construir projetos incríveis e recriar tecnologias da rede, ocorrem em diversas partes do país.

PyLadies São Paulo

PyLadies é um grupo internacional que tem o objetivo de aumentar inclusão feminina dentro da comunidade Python, um tipo de linguagem de programação. No Brasil, o projeto atua em cerca de 20 cidades, principalmente nas capitais, promovendo eventos e cursos para mulheres que querem aprender a programar. E o melhor, as atividades são gratuitas.

PrograMaria

A PrograMaria incentiva o debate sobre a falta de representatividade feminina na tecnologia e leva a discussão a grandes eventos de tecnologia. Criado por Iana Chan e Luciana Fernandes, o projeto consiste em um curso presencial de programação só para mulheres.

#MinasProgramam

O #MinasProgramam foi criado em maio de 2015 com o intuito de incluir as mulheres na linguagem dos códigos, o projeto promove cursos de programação e encontros na cidade de São Paulo. Muitas das atividades são gratuitas e as que são pagas oferecem isenção de inscrição para mulheres financeiramente vulneráveis.

Extraído e adaptado de Code Girl – Revista Trip

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

 

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:

Os desafios das mulheres no mercado de trabalho

 

 

 

 

 

15 frases de mulheres inspiradoras

 

 

 

Elogio à vida tranquila

Uma vida tranquila parece uma opção que apenas os derrotados estariam inclinados a elogiar. Nossa era é impressionantemente conectada aos benefícios de formas ativas, dinâmicas, “ruidosas” de viver. Se alguém nos oferecesse um salário maior por um emprego em outro lugar, aceitaríamos. Se alguém nos mostrasse o caminho para a fama, nós o pegaríamos. Se alguém nos convidasse para uma festa, iríamos. Esses parecem ser ganhos puros e nada ambíguos. Saudar uma vida tranquila tem um pouco da excentricidade de elogiar a chuva.

Para a maioria de nós, é difícil contemplar qualquer potencial na ideia porque os defensores de vidas tranquilas tendem a vir dos segmentos mais implausíveis da comunidade: vagabundos, hippies, avessos ao trabalho, desempregados… pessoas que nunca pareceram ter escolha sobre como organizar seus assuntos. Uma vida tranquila parece algo imposto a elas por sua própria inaptidão. É um prêmio de consolação digno de pena.

Ainda assim, quando examinamos as questões de perto, vidas ocupadas acabam tendo custos incidentais impressionantemente altos que, não obstante, estamos coletivamente comprometidos a ignorar. O sucesso visível nos faz enfrentar a inveja e a competitividade de estranhos. Viramos alvos plausíveis de decepção e escárnio; pode parecer que talvez os outros não tenham sido bem-sucedidos por nossa culpa. Obter um status mais alto nos torna cada vez mais sensíveis à sua perda. Uma leve queda em vendas, adulação ou atenção podem parecer uma catástrofe. Nossa saúde sofre. Viramos presas de pensamentos assustados e paranóicos, vemos possíveis tramas por toda parte – e talvez não estejamos errados. A ameaça de um escândalo vingativo nos assombra.

Em paralelo com nossos privilégios, ficamos pobres de maneiras curiosas. Temos um controle muito limitado sobre nosso tempo. Podemos conseguir montar uma fábrica na Índia e cada palavra nossa é ouvida com um respeito trêmulo dentro da organização, mas o que não podemos, absolutamente, fazer é admitir que também estamos extremamente cansados e só queremos passar a tarde lendo no sofá. Não podemos mais expressar nossos lados mais espontâneos, imaginativos, vulneráveis. Nossas palavras têm tantas consequências que precisamos ficar vigilantes o tempo inteiro – os outros buscam orientação e autoridade em nós. Ao longo do caminho, viramos estranhos para aqueles que nos amam sem considerar nossa riqueza e status, enquanto dependemos cada vez mais da atenção fugaz daqueles para quem somos apenas nossas conquistas. Nossos filhos nos veem cada vez menos. Nossos cônjuges ficam ressentidos. Podemos ter a riqueza de continentes, mas faz no mínimo dez anos que não temos a chance de fazer nada o dia inteiro.

Para muitos de nós, há vários motivos para tomar certos rumos na carreira que tragam muito prestígio. Podemos ter algo profundamente impressionante para responder a quem pergunte o que fazemos, mas isso não significa necessariamente que devemos ou deveríamos seguir essas possibilidades. Quando conhecemos o verdadeiro preço que algumas carreiras cobram, lentamente podemos perceber que não estamos dispostos a pagar pela inveja, pelo medo, pela enganação e pela ansiedade. Nossos dias são limitados. Podemos – pelo bem das verdadeiras riquezas – optar voluntariamente, e sem perda de dignidade, por ficarmos um pouco mais pobres.

Extraído e adaptado de The School of Life

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

 

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:

Como fazer a diferença hoje e promover um futuro melhor para as próximas gerações

 

 

 

 

 

5 formas de ensinar seu cérebro a ser mais feliz

RENEW_01-09_6.0.indd

 

 

 

 

 

7 dicas preciosas para quem decide morar em outro país!

Tomar a decisão de morar no exterior certamente é uma experiência única e transformadora, mas nem sempre tudo corre como o planejado. Mais do que qualquer outra mudança, mudar de país envolve uma série de desafios, dificuldades e, principalmente, a dificuldade para adaptação. Este processo vai depender muito das condições, dos objetivos e da estrutura que encontrará no novo país.

#1 Aprenda o novo idioma

Mesmo que você já tenha uma noção da língua ou que já esteja mais avançado, vai perceber que conseguir “se virar” pode ser bem diferente quando realmente precisar resolver algo, mesmo que pareça simples, quando você reside naquele país.

Você pode ter o conhecimento da língua que te ajude a superar questões mais comuns do dia a dia. Mas quando precisar abrir uma conta no banco, quando seu cartão não passar no caixa, participar de uma reunião de trabalho ou mesmo quando quiser aprofundar uma amizade com os nativos, o “saber se virar” pode não ser suficiente e um sentimento de exclusão e frustração pode nascer daí.

Então, quando decidir morar no exterior, aprenda o básico e tenha a perspectiva de se aprofundar o mais rápido possível na nova língua. Participe de cursos intensivos, pesquise cursos presenciais e aproveite as várias opções de aplicativos para celular que podem te ajudar a não perder o ritmo dos estudos.

Dominar o novo idioma facilitará sua adaptação e sua autonomia no novo país.

#2 Tenha um projeto

Independente do seu objetivo (acadêmico, profissional, financeiro ou até mesmo pela busca de autoconhecimento e crescimento cultural), ao decidir morar no exterior você precisará ter projetos e se planejar para poder concretizá-los.

Não se sobrecarregue, mas trabalhe para que possa ter uma certa rotina e preencher sua agenda semanal o máximo que puder.

Se você já tem um trabalho ou uma carga horária razoável de estudos, isso será mais fácil de resolver. Mas se, por exemplo, você tiver muito tempo livre durante a semana ou se tiver se mudado para acompanhar seu cônjuge, sua necessidade de planejamento será ainda maior.

Em primeiro lugar, foque no aprendizado do novo idioma, aventure-se a novas situações experiências, busque sites que promovam reuniões de estrangeiros, como o Meetup, matricule-se em alguma atividade física e se engaje num trabalho voluntário – isso pode te proporcionar uma experiência marcante. Em todos os países existem trabalhos voluntários e, ao participar de algum deles, você estará treinando o novo idioma, aumentando sua rede de contatos e ainda poderá oferecer algo ao novo país também.

#3 Seja flexível

Não perca sua personalidade, seja você mesmo e o mais espontâneo possível. Mas lembre-se de que você não está mais “em casa” e, da mesma maneira que adotamos algumas condutas diferentes quando vamos visitar alguém, precisamos mudar alguns de nossos hábitos quando mudamos de país.

Se você sabe que algo não é bem visto naquele país, evite fazê-lo ou, simplesmente, não faça. Busque compreender a cultura local.

Por outro lado, se você se incomoda com algum costume das pessoas do seu novo país, não as critique pois isto não vai fazer você se sentir mais confortável. Aceite a nova cultura e aprenda o máximo que puder para lidar a situação.

Afinal, que sentido faria mudar de país e continuar na nossa eterna zona de conforto?

#4 Fantasiar pode, mas tenha limites!

Buscar um lugar diferente e melhor, com condições mais satisfatórias podem te dar oportunidades de crescimento pessoal, emocional e profissional. Mas, cuidado, às vezes nos enxergamos numa situação tão difícil no Brasil que exageramos na fantasia de encontrar um lugar perfeito.

Você certamente vai se surpreender positivamente com os benefícios sociais e com os avanços tecnológicos, educacionais e culturais do novo país, mas também poderá se frustrar com algumas coisas.

Então, tenha em mente que o lugar perfeito não existe. Mas vale a pena se esforçar para viver num país diferente e que te traga maior qualidade de vida.

#5 Seja Paciente

Para a alguns de nós o processo de adaptação não é tão rápido e passamos por várias etapas até que a experiência possa ser vivida de uma forma mais leve.

Você pode levar um pouco mais de tempo para se adaptar, então respeite o SEU tempo e seja paciente. Isso é extremamente importante para que você não desista antes de realmente começar e poder aproveitar a experiência.

Uma boa atitude não garantirá o seu sucesso. Mas uma má atitude poderá te levar ao fracasso.

#6 “Só porque sou estrangeiro”

Principalmente quando ainda não dominamos o novo idioma, podemos ter a sensação de que somos tratados de uma forma diferente ou até mesmo excessivamente discriminados “só porque somos estrangeiros”.

Em algumas situações sabemos que isso pode ser real, mas precisamos ter cuidado para não generalizar e acabarmos paranóicos, achando que as pessoas agem de determinada forma só porque somos estrangeiros.

Quando isso acontecer lembre-se que, dependendo o país onde você está, as pessoas não serão tão amáveis, extrovertidas ou expansivas como a cultura brasileira em geral e isso não tem a ver com discriminação, mas apenas com diferenças culturais.

Então, não se frustre e nem se desanime desnecessariamente. Aprenda a lidar com as novas situações e desenvolva diferentes habilidades sociais.

#7 Distancie-se de vez em quando

Procure se aproximar o máximo possível dos nativos, envolva-se em atividades culturais locais, assista aos seus programas de televisão, ouça suas músicas, mas quando tudo isso parecer exigente demais: dê um tempo para você!

Antes mesmo de se mudar para o novo país, faça uma pesquisa por brasileiros que já moram fora pelas redes sociais, tire dúvidas e, se possível, mantenha contato. Para quem já está fora pode ser muito prazeroso poder se reencontrar com brasileiros novamente e, de uma forma geral, as pessoas estão dispostas a ajudar no que for preciso em relação a informações.

Mas uma coisa é muito importante, não se isole da nova cultura ficando no conforto das relações somente com brasileiros, mas mantenha essas relações. Isso pode ser muito reconfortante quando passamos por algumas dificuldades de adaptação.

Mantenha contato com familiares e amigos. Seja empático e sensível para que não se preocupem excessivamente com suas dificuldades, mas não precisa contar só o lado bom. Esteja aberto também para pedir ajuda, para desabafar e assim preservar o bom relacionamento.

Quando somos otimistas e nos planejamos bem, a mudança de país pode ser uma das melhores experiências de nossa vida!

Mas, vale lembrar que, para algumas pessoas, esse processo de adaptação cultural pode ser longo ou intenso demais e nestes casos o mais indicado é buscar ajuda de um profissional especializado no assunto. Os atendimentos psicológicos on-line podem ajudar neste processo e, na maioria dos casos, em algumas sessões sua experiência no exterior pode se tornar mais leve e gratificante.

 

Extraído e adaptado de http://vivertrabalhareestudarnoexterior.com/morar-no-exterior-dicas-adaptacao/

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:

 Quer morar na Europa? Estes são os 10 países que oferecem vistos de forma mais simples e barata

 

 

 

 

5 sinais de que você foi feito para empreender pelo mundo

Como fazer a diferença hoje e promover um futuro melhor para as próximas gerações

Mudar comportamentos, mudar hábitos, manias, sentimentos, mudar até mesmo o nosso jeito de ser… para nós é tão difícil essa mudança, não é?!

Queremos ser melhores em tudo, daí nos criticamos, nos cobramos, exigimos a perfeição, e com isso, sobra até arrependimentos: “Por que fiz assim?!”

Será que há uma maneira mais fácil e menos sofrida de evoluirmos? rs…

Bem, sabemos que os filhos costumam repetir os mesmos hábitos dos pais, por isso geralmente vivenciam problemas semelhantes.

Quem sabe, então, se nossos pais tivessem nos ensinado desde pequenos a ter hábitos saudáveis, a praticar atividades físicas, ser emocionalmente equilibrados, saber nos comunicar com assertividade, ser mais decididos e menos ansiosos, será que teria sido diferente?

Se sim, como deveriam ter agido? O que deveriam ter feito diferente?

Acredito que não estaríamos sendo justos com nossos pais exigindo isso deles. Fizeram o melhor dentro da realidade deles, certo?

Mas a nossa situação é muito diferente…. nós temos acesso a informações que eles não tiveram e oportunidades infinitamente diferentes. Então, por que não construímos um legado diferente?

Sempre digo que não podemos voltar no tempo e fazer diferente, mas podemos mudar o curso da história. Temos essa maravilhosa oportunidade.

Nesta semana, por exemplo, conversei com um jovem universitário, estudante de direito, que não possui nenhum membro da família com curso superior. Filho de família humilde, paga seus próprios estudos com o salário do estágio e, nessa nova realidade de estudos e oportunidades, está surpreendentemente mudando o curso da história da sua família.

Então, pense comigo: se conseguirmos mudar já a partir de agora um pouquinho por dia, só um pouquinho por dia, conseguiremos mudar também as próximas gerações.

Pretensão? Acredito que não!

Imagine que você tenha na sua geladeira apenas alimentos saudáveis, que pratique atividades físicas regularmente com prazer, que tenha o hábito de ler bons livros, que tenha apenas conversas construtivas, assista a bons programas, que ame aprender…

Imagine que consiga manter o equilíbrio emocional nas situações adversas, que enfrente os desafios de cabeça erguida, que passe pelas dificuldades com serenidade, esperança e resiliência, que se dê bem com todos da sua família, incluindo cunhados, sogros e demais agregados.

Uau!!! Seus filhos, seus sobrinhos, seus primos, sua equipe terão você como uma referência absoluta e você estará, sim, mudando sua história e construindo um novo caminho, porque as pessoas vão aprender naturalmente com você. Portanto, não será tão difícil para elas quanto é para você hoje, concorda?

Então a pergunta de hoje é: como fazer a diferença em prol das próximas gerações?

Muitas vezes, não encontramos forças para realizar essa mudança apenas por nós mesmos, mas podemos buscar forças para fazermos o que deve ser feito pelas pessoas da nossa vida. E esse pode ser o nosso propósito maior.

Sendo assim, é hora de começar: identifique suas prioridades, aprenda com quem admira, busque um mentor para o que deseja mudar em você e siga melhor, um pouquinho só por dia, mas incansavelmente, sem se abater diante das dificuldades, porque esse será o seu maior legado.

A hora é agora! “Depois” pode se tornar “nunca”!

Um abraço de energia positiva para você!

Wayne Valim 


PS.: O nosso comportamento exerce mais influência do que a própria herança genética. Se havia alguma dúvida dessa verdade, a ciência está aí para comprovar.

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

 

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:

Quem tem um senso de humor inteligente vive mais

 

 

 

 

 

5 formas de ensinar seu cérebro a ser mais feliz

RENEW_01-09_6.0.indd

 

 

 

 

 

5 Aplicativos para desenvolver o hábito da meditação e relaxar

Com a nossa rotina cada vez mais corrida, muitas vezes nos pegamos ansiosos, acelerados, buscando terminar algo o mais rápido possível, e quando chega ao fim do dia, só estamos exaustos, insatisfeitos e sem a total sensação de dever cumprido. E existe uma excelente maneira de melhorar o seu humor nesse momento, acalmando-se e voltando-se para si mesmo. Mas como fazer isso? É simples: basta alguns minutos de meditação para que você possa se encontrar no meio de tanta turbulência e, quem sabe, tornar-se emocionalmente estável.

Se você nunca experimentou a prática da meditação ou acredita que leva muito tempo para aprender, fique tranquilo! Aqui teremos dicas preciosas e bem simples para você se aventurar nesta prática.

Uma das vantagens é que já não é preciso atravessar a cidade para ir a uma aula de yoga para poder relaxar e meditar. Com a ajuda dos aplicativos é possível parar alguns minutos para praticar e relaxar no meio dos dias caóticos.

Que tal experimentar?

Medita!

O aplicativo de meditação de Mirna Grzich, jornalista e terapeuta brasileira que é uma referência em meditação. O aplicativo apresenta um guia prático, simples, com oito temas de meditações guiadas: Mindfulness, Meditações Essenciais, Insights & Reflexões, Orações & Mantras, Meditações da Lua cheia, Quem é Você, Meditando com Tradições Espirituais e Relaxando & Meditando.

Gratuito
Disponível para iOS e Android

5 Minutos

O aplicativo 5 Minutos é um guia para facilitar a meditação e desenvolver seu bem estar no dia a dia. Desenvolvido pela Mãos Sem Fronteiras (MSF), uma organização internacional que promove a técnica conhecida como Estimulação Neural, o aplicativo apresenta três opções para meditar: meditação de 5 minutos, meditação Guiada La Jardinera e meditação com tempo livre com um contador de até 30 minutos.

Gratuito
Disponível para iOS e Android

Medite.se

Desenvolvido através das técnicas do terapeuta Tadashi Kadomoto, o aplicativo oferece meditações guiadas para que você viva mais presente e consciente a cada dia. Para Tadashi, sua missão de vida é “Contribuir efetivamente para o despertar das pessoas”. O Medite.se é uma boa ferramenta para quem quer se conhecer utilizando a meditação.

Gratuito
Disponível para iOS e Android

Calm

Eleito pela App Store, em 2017, como o melhor aplicativo de meditação e mindfulness, o objetivo deste aplicativo é que você pare durante o dia para relaxar. Você pode escolher sessões entre 2 e 20 minutos de meditação ou até efeitos sonoros gravados diretamente da natureza. Há ainda mais de 10 faixas de música para melhorar a concentração e você pode escolher o seu objetivo da meditação: melhorar a qualidade do sono, aumentar os níveis de energia, confiança, foco e concentração, criatividade, diminuir a ansiedade, gratidão e muito mais.

Gratuito
Disponível para iOS e Android

Relax Melodies

Este aplicativo é excelente para aqueles que sofrem de insônia, zumbidos ou stress. O Relax Melodies promote uma rotina relaxante, com meditações guiadas, especificamente projetadas para ajudá-lo a dormir. Há sons de pássaros na floresta, sons marítimos, água a correr, chuva… E ainda possui um timer para que o utilizador possa programar o tempo de meditação.

Gratuito
Disponível para iOS e Android

E para quem não quiser baixar um aplicativo, não tem problema, você pode experimentar esta opção que pede apenas 2 minutos do seu tempo para fazer absolutamente nada:

http://www.donothingfor2minutes.com

 

 

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:

Qual o seu nível de stress?

 

13 coisas que você deve abandonar se quiser ser bem-sucedido

Às vezes, para ser bem-sucedido, não precisamos de mais coisas, precisamos desistir de algumas.

“Porque você pode fazer o que quiser, você potencialmente pode fazer tudo que quiser. Mas para fazer tudo que quer, você precisa sacrificar as coisas que realmente são importantes.” Frase do documentário Minimalism: A Documentary About the Important Things

Para Michelle Obama, “O sucesso não tem a ver com quanto dinheiro você ganha, mas com a diferença que você faz na vida de outras pessoas.”

Mesmo que cada um de nós tenha uma definição diferente de sucesso, existem certas coisas que são universais, das quais se você desistir será mais bem-sucedido.

Algumas delas você pode abrir mão hoje, outras podem demandar mais tempo.

  1. Abandone estilos de vida que não sejam saudáveis

 

“Tenha cuidado com seu corpo. É o único lugar que você tem para viver.”- Jim Rohn

Se você quer alcançar qualquer coisa na vida, tudo começa aqui.

Primeiro, você tem que cuidar do seu corpo e da sua saúde, e há apenas duas coisas que você precisa ter em mente:

Alimentação saudável

Atividade Física

Passos pequenos, mas você vai agradecer a si mesmo um dia.

 

  1. Abandone a mentalidade de curto prazo

 

“Você só vive uma vez, mas se você fizer isso direito, uma vez é suficiente.” – Mae West

Pessoas bem-sucedidas estabelecem metas de longo prazo e sabem que esses objetivos são meramente o resultado de hábitos de curto prazo que eles precisam fazer todos os dias.

Hábitos saudáveis ​​não devem ser algo que você faz: devem ser algo que você é.

Há uma diferença entre: “fazer exercícios para ter corpo de verão” e “fazer exercícios para contribuir para a sua saúde”.

 

  1. Não pense “pequeno”

 

“Pensar pequeno não serve ao mundo.

Não há nada de brilhante em se encolher para que outras pessoas não se sintam inseguras perto de você. Todos nós devemos brilhar, como as crianças.

Não está apenas em alguns de nós, está em todos, e quando deixamos nossa luz brilhar, inconscientemente damos permissão a outros para fazer o mesmo.

À medida que nos libertamos do nosso medo, nossa presença automaticamente liberta os outros. “- Marianne Williamson

Se você nunca tentar e aproveitar grandes oportunidades ou permitir que seus sonhos se tornem realidade, você nunca vai perceber o seu verdadeiro potencial.

Além disso, o mundo nunca se beneficiará com o que você poderia ter conseguido.

Então dê voz às suas ideias, não tenha medo de falhar e certamente não tenha medo de ter sucesso.

 

  1. Abandone suas desculpas

 

“Não é sobre as cartas que você tem, mas como você as joga.” – Randy Pausch, The Last Lecture

Pessoas bem-sucedidas sabem que são responsáveis ​​por suas vidas, não importa o seu ponto de partida, fraquezas e falhas do passado.

Lembre-se: você é o agente transformador da sua própria vida.

Perceber que você é inteiramente responsável pelo que acontece em seguida na sua vida, é assustador e excitante.

No entanto, é a única maneira que você pode alcançar o sucesso, porque as desculpas nos limitam e impedem de crescer pessoalmente e profissionalmente.

Possua sua vida. Ninguém mais o fará.

 

  1. Desista da mentalidade fixa

 

“O futuro pertence àqueles que aprendem mais habilidades e conseguem combiná-las de maneiras criativas.” – Robert Greene, Maestria

Em uma mentalidade fixa, as pessoas acreditam que sua inteligência ou talento, são simplesmente traços fixos e que talento sozinho gera sucesso – sem esforço.

Eles estão errados.

Além disso, as pessoas bem-sucedidas sabem disso.

Elas investem uma imensa quantidade de tempo para desenvolver uma mentalidade de crescimento, adquirir novos conhecimentos, aprender novas habilidades e mudar sua percepção, para que isso possa beneficiar suas vidas.

Lembre-se: quem você é hoje, não é quem você tem que ser amanhã.

 

  1. Abandone a crença na “Bala Mágica”

 

“Todos os dias, em todos os sentidos, eu estou ficando cada vez melhor” – Émile Coué

O sucesso de um dia para o outro é um mito.

Pessoas bem-sucedidas sabem que fazer pequenas melhorias contínuas a cada dia, ao longo do tempo, terão os resultados desejados.

É por isso que você deve se planejar para o futuro, mas com o foco no dia seguinte, e melhorar apenas 1%.

 

  1. Desista do perfeccionismo

 

“Se mover é melhor que ser perfeito.” – Kahn Academy’s Development Mantra

Nada será perfeito, não importa o quanto tentemos.

O medo da falha (ou mesmo o medo do sucesso) nos impede frequentemente de agir e de pôr nossa criação no mundo. No entanto, muitas oportunidades serão perdidas se esperarmos que as coisas sejam 100% certas.

Então, navegue e depois melhore (aquele 1% do dia seguinte).

 

  1. Desista de ser multitarefa

 

“Você nunca chegará ao seu destino se parar e jogar pedras em cada cão que ladra.” – Winston S. Churchill

Pessoas bem-sucedidas sabem disso. É por isso que elas escolhem uma coisa e em seguida, passam a perseguir seus objetivos. Pode ser uma ideia de negócio, uma conversa ou um treino.

Estar plenamente presente e comprometido com uma tarefa é indispensável.

 

  1. Desista da sua necessidade de controlar tudo

 

“Algumas coisas dependem de nós e algumas coisas não dependem.” – Epictetus, filósofo estóico

Diferenciar estes dois é importante.

Separar-se das coisas que você não pode controlar, e concentrar-se naquelas que você pode, e saber que às vezes, a única coisa que você será capaz de monitorar é a sua atitude em relação a algo.

 

  1. Desista de dizer SIM para coisas que não levam aos seus objetivos

 

“Aquele que pode realizar pouco deve sacrificar pouco. Aquele que pode alcançar muito, deve sacrificar muito. Aquele que pode alcançar níveis muito altos, deve sacrificar grandemente.”- James Allen

Pessoas bem-sucedidas sabem que para alcançar seus objetivos, terão que dizer NÃO a tarefas, atividades e demandas de seus amigos, familiares e colegas.

Em um curto prazo, você talvez sacrifique um pouco de gratificação instantânea, mas quando seus objetivos começarem a dar frutos, vai valer a pena.

 

  1. Abandone pessoas tóxicas

 

“Você é a média das cinco pessoas que você mais convive.” – Jim Rohn

As pessoas com quem gastamos mais tempo somam-se a quem nos tornamos.

Há pessoas menos ambiciosas e há pessoas mais ambiciosas do que nós. Se você gastar tempo com aqueles que são menos motivados do que você, sua média vai cair e com ela, o seu sucesso.

No entanto, se você passar o tempo com pessoas mais avançadas do que você, não importa o quão desafiador que possa ser, você será mais bem-sucedido.

Dê uma olhada em si mesmo e veja se você precisa fazer alguma mudança.

 

  1. Abandone sua necessidade de ser apreciado

 

“A única maneira de não se chatear com as pessoas é não fazer nada importante.” – Oliver Emberton

Pense em si mesmo como um nicho de mercado.

Muitas pessoas vão gostar desse nicho, outras pessoas não e não importa o que você faça, você não será capaz de fazer todas as pessoas gostarem de você.

Isso é totalmente natural, e não há necessidade de fazer nada para se justificar.

A única coisa que você pode fazer é continuar sendo autêntico e não depender da aprovação dos outros para continuar fazendo o que você ama.

 

  1. Abandone sua dependência de redes sociais e televisão

 

“O problema é que você acha que tem tempo.” – Jack Kornfield

O vício de ficar na internet e assistir televisão é a doença da sociedade de hoje.

Estes dois nunca devem ser uma fuga de sua vida ou seus objetivos.

A menos que seus objetivos dependam deles, você deve minimizar (ou eliminar) a sua dependência sobre eles. Além disso, dirija esse tempo para coisas mais produtivas que podem enriquecer sua vida.

 

Este artigo é uma adaptação do texto publicado em Malagueta Criativa do texto originalmente publicado no Medium, por Zdravko Cvijetic. Photo by Nik Shuliahin on Unsplash

 

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:

Organização pessoal melhora a qualidade de vida

or1

 

 

 

 

 

Ser organizado é ser mais produtivo

or2

 

 

5 Técnicas da neurociência para potencializar a sua memória

Não quer mais esquecer prazos, nomes, datas, informações? Saiba como a ciência pode ajudar para potencializar a sua capacidade de memorização.

A tecnologia pode ser a nossa grande aliada para nos lembrar de prazos, reuniões, nomes, mas, mesmo com a ajuda dos nossos smartphones, tablets e outros gadgets, nenhum hardware é mais valioso para a rotina do que o nosso cérebro.

A memória é uma das funções cognitivas mais prejudicadas pela sobrecarga de informações trazida pela tecnologia. Perdidos em um oceano de estímulos, acabamos esquecendo cada vez mais facilmente de detalhes como nomes, datas, prazos e informações.

O esquecimento prejudica a rotina pessoal, profissional e acadêmica, mas a boa notícia é que não faltam recursos e técnicas para recuperar a capacidade de se lembrar. Se você procura conselhos nesse sentido, a neurociência pode ajudar.

Confira a seguir 5 métodos inspirados por descobertas científicas para facilitar a fixação de qualquer informação:

  1. Brinque de professor com um amigo

Você só vai memorizar uma informação se fizer algo de prático com ela, diz em palestra do TED o professor Peter Doolittle, da universidade Virginia Tech.

Uma das melhores maneiras de fazer isso é explicar aquele conteúdo para uma outra pessoa, como por exemplo, ensaiar uma apresentação com um amigo. Para dar sua “aula”, você precisará organizar, filtrar e reproduzir a informação, o que facilita a memorização.

Alguns artigos publicados em 2007 nos periódicos acadêmicos Science e Intelligence traz uma possível evidência desse fato. Segundo os estudos, os filhos primogênitos em média têm QI mais alto do que os caçulas. A razão? Provavelmente porque eles passaram boa parte da infância ensinando diversas coisas para seus irmãos mais novos.

  1. Brinque de professor consigo mesmo

Não há nenhuma pessoa disponível para ouvir a sua “aula” sobre o conteúdo que precisa memorizar? Sem problemas, você pode fazer isso sozinho.

Para tornar esse exercício solitário mais estimulante, faça perguntas a si mesmo sobre o material. Especialistas em educação da Universidade de Michigan recomendam parar de vez em quando a leitura de uma apostila, por exemplo, e se questionar: “Quais são as informações principais deste trecho?”. Falar em voz alta, seja para fazer perguntas, seja para respondê-las a si mesmo, ajuda muito.

Um trabalho publicado em 2010 no “Journal of Experimental Psychology” indica que a produção oral tem impacto significativo sobre a retenção de informações. Os estudiosos fizeram o seguinte experimento. Diante de uma lista de palavras, os participantes tiveram que ler metade em voz alta e metade em silêncio.

Em seguida, tiveram que recordar o maior número possível de itens que haviam lido. Aqueles que haviam sido pronunciados foram muito mais lembrados do que os que haviam sido lidos sem a emissão de qualquer som.

  1. Anote tudo em um papel

Em tempos dominados por computadores e smartphones, cada vez menos pessoas cultivam o hábito de registrar informações à mão. O antigo método, contudo, é excelente para a memorização.

Ao usar o teclado ou a tela touch de um celular, processamos a escrita de forma mais superficial do que quando desenhamos as palavras com um lápis, dizem estudiosos das universidades de Princeton e da Califórnia.

Então, esqueça o bloco de notas digital, da próxima vez que precisar decorar alguma coisa, procure um bom pedaço de papel. Tanto faz se você vai escrever um texto corrido ou desenhar um esquema com flechas. O importante é transformar a informação a ser gravada em um registro manuscrito.

  1. Pense como um pintor surrealista

Um bom método para facilitar a retenção de uma informação é visualizá-la em um contexto inusitado, engraçado ou até surreal. Para compreender isso, imagine que você precisa decorar o nome de uma pessoa que você acabou de conhecer em um evento de networking: Joana Pontes, por exemplo.

Tente imaginar esse sobrenome, Pontes, dentro do rosto de Joana, sugere o especialista em memória Chris Moulin ao site “The Mirror”: pode uma ponte entre a orelha e a boca, por exemplo, ou alguma outra imagem digna de um quadro de Salvador Dalí.

Parece loucura? Pensar como um pintor surrealista, na verdade, pode ser bastante útil. Segundo Carla Tieppo, neurocientista e professora da Santa Casa de São Paulo, quanto mais nos espantarmos com uma imagem mental, mais chances ela terá de ser absorvida pelo cérebro de forma duradoura.

  1. Transforme tudo em música

Já parou para contar a quantidade de canções que você sabe de cor? Tem ideia de como as letras ficaram gravadas com tanta facilidade no seu cérebro? O segredo é a melodia por trás delas.

Não é por outro motivo que os professores de cursinho adoram criar paródias musicais para transmitir temas como a tabela periódica dos elementos químicos. Quando envolta em melodia, qualquer informação pode ser gravada mais facilmente.

Um estudo de pesquisadores norte-americanos e alemães mostrou que a criação de um padrão rítmico e melódico é um excelente auxiliar das funções cognitivas. Um experimento com portadores de esclerose múltipla sugere que o estímulo musical incrementa a “codificação profunda” durante o aprendizado verbal.

Seja para memorizar uma informação nova, seja para ser mais produtivo no trabalho, a audição de música tem efeitos surpreendentes. “Ela faz algo provavelmente único: estimula o cérebro de um modo poderoso a partir da nossa conexão emocional com ela”, resume a neuropsicóloga Catherine Loveday ao site do jornal “The Guardian”.

Artigo extraído e adaptado do site Exame

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo relacionado:

11 Atitudes que melhoram absurdamente a sua qualidade de vida

 

 

7 passos para desvendar o seu propósito de vida

O propósito, como definição, é aquilo que se pretende alcançar ou realizar.
Então, você já parou para pensar qual o seu propósito de vida?
O que você faz hoje está te levando para o resultado que você quer alcançar?

O nosso propósito está conectado aos nossos valores, com a nossa forma de pensar, agir, que define quem somos e a forma como enxergamos o mundo. Por isso, antes de definir o seu propósito, é preciso compreender quais são os valores que guiam a sua vida.

Muitas pessoas levam sua vida sem compreender ao certo quais são os seus valores e qual o seu papel no mundo, e isso é o que provoca aquele sentimento vazio, que aquilo que se faz todos os dias não tem sentido algum.

Por isso, entender essa relação entre valores e propósito é fundamental. E o caminho para encontrar-se diante de um universo de possibilidades está em fazer as perguntas certas e encontrar as respostas certas para realmente conseguir entender, sentir e viver o que realmente importa.

Muitas pessoas lutam para encontrar o que realmente é sua verdadeira paixão ou propósito na vida. O problema é que eles passam tanto tempo se preocupando com isso, que se esquecem de tomar uma ação! Esquecem-se de dar o próximo passo.

Por isso, quero te ajudar com essas 7 passos para encontrar o seu propósito e colocar muito mais sentido e felicidade à sua vida.

Passo 1: Seja claro sobre por que você quer encontrar o seu propósito.

Faça uma lista de todas as razões de por que você quer encontrar o seu propósito na vida. Isto lhe dará um bom ponto de partida, e lembrar disso vai mantê-lo na linha, focado no seu propósito.

Quando se sentir desmotivado, desistindo do objetivo, volte a consultar essa lista, isso o manterá motivado.

Aqui não é momento para julgar. Escreva seus motivos em sua lista. E, seja verdadeiro com você mesmo.

Passo 2: Faça uma lista do que gostaria de fazer.

Se você fosse financeiramente independente, o que estaria fazendo agora? Anote todas as coisas que fazem você se sentir animado, empolgado.
Faça uma lista com todas as possibilidades que conseguir imaginar. Reserve um tempo para fazer essa lista.
Coloque todas as coisas que você se sente atraído a fazer no seu dia a dia.

Descreva como seria o seu dia de trabalho ideal.
Como seria este dia?
O que o deixaria feliz durante este dia?

Passo 3: Descubra algo em que você é bom.

Preste atenção ao que os outros dizem que você é bom, muitas vezes isso poderia revelar uma habilidade especial que você não sabia que tinha. Essa habilidade que se destaca sobre todas as outras pode ser uma nova oportunidade e até mesmo um novo negócio.

Você pode montar um negócio rentável em torno do seu propósito na vida. De posse de sua habilidade destacada, descubra o que realmente importa para você.

Nesse momento, eu gostaria de lembrar que você pode e deve ser um pouco egoísta e pensar exclusivamente em você.

Passo 4: Descubra o que é mais importante para você.

No passo anterior você foi incentivado a fazer uma lista de suas habilidades para descobrir o que é importante para você. Afinal, viver uma vida com propósito significa viver uma vida focada em coisas que importam para você.

Mas você sabe quais são as coisas importantes para você?

Mais uma vez, faça uma lista dessas coisas, em uma escala de prioridade para as mais importantes.

Você ficará surpreso ao descobrir que elas raramente são coisas materiais.

Passo 5: Use todos os seus dons.

Quem disse que só há um propósito na vida?

Muitas vezes, temos mais que uma habilidade pela a qual somos lembrados. Se você ignora suas habilidades você pode se fechar para muitas outras possibilidades.

Não se limite a fazer apenas uma coisa. Explore as suas habilidades, amplie e multiplique suas oportunidades!

Foque na habilidade que descobrir ser a mais forte e amplie para as demais. Isso pode impulsionar a sua carreira e até mesmo a sua diversão.

Viva o seu propósito, mas viva sua vida com leveza. A vida não tem que ser um sacrifício.

Uma habilidade forte sua pode ser uma característica que o leve a se divertir.

Passo 6: Saia da sua zona de conforto.

Muitas vezes, fazemos tudo, exceto o que é melhor para nós. Nós procrastinamos, passamos oportunidades, nós colocamos em risco a nossa saúde, e por quê?

Porque nós não gostamos de sentir dor. Porque nós não gostamos do desconforto. Ou, o que é pior, preferimos sentir desconforto do que enfrentar nossos medos.

Mas adivinhe? Quando você enfrenta os seus medos e sai de sua zona de conforto, é quando você, finalmente, encontra a liberdade e a felicidade.

Você deve sempre expandir a sua mente e suas habilidades. Dê sempre um passo adiante. Trace sempre novas metas que o desafie.

Viver verdadeiramente o seu propósito vai exigir coragem para sair da sua zona de conforto. Mas você não terá realização plena fazendo apenas aquilo que já está acostumado.

Passo 7: Tire um tempo para refletir.

Separe alguns minutos do seu dia para estar calmamente em silêncio e refletir sobre o que te faz feliz, o que você quer fazer com sua vida e qual impacto você quer causar neste mundo.

Você vai descobrir que as respostas serão reveladas a você.

Vá em frente! Dê o primeiro passo, busque o seu verdadeiro propósito e comece a viver de verdade.

E lembre-se: somos os responsáveis pela nossa felicidade, por nosso crescimento, evolução e sucesso pessoal e profissional. São nossas ações e a nossa forma de pensar que guiam os nossos resultados, por isso, não é justo viver uma vida sem sentido em meio a tantas possibilidades. Essa é a diferença entre viver com e sem propósito.

Espero que você se sinta inspirado para fazer algo diferente, maior ou melhor do que tem feito até aqui.

Extraído e adaptado de vivercomprosperidade

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:
Conteúdo relacionado:
8 hábitos diários para aumentar sua inteligência emocional