Arquivo: Produtividade

Como reduzir a ansiedade e manter a calma

Com o cenário de ameaça global diante da pandemia do Coronavírus, a ansiedade e o estresse, que já apontavam elevados índices no Brasil, têm tomado proporções gigantescas e deixado muita gente descontrolada emocionalmente.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo: 18,6 milhões de cidadãos (9,3% da população) convivem com o transtorno.

A ansiedade é uma emoção de alta excitação: um estado intenso de vigilância fisiológica. Ficamos hiperalertas, o coração dispara, nosso cortisol (hormônio liberado sob estresse) pode atingir seu pico – tudo produzido automaticamente pelo nosso sistema nervoso.

A ansiedade é causada por uma combinação de 

1 – como avaliamos um momento crítico, se é um desafio ou uma ameaça, 

2 – qual é a nossa capacidade em responder àquele momento.

Se avaliamos que é uma ameaça em vez de um desafio e não temos os meios de responder àquilo, nossa ansiedade chega ao ápice causando níveis altos de estresse.

Confusão mental, lapsos de memória, falta de concentração, controle cognitivo comprometido são alguns dos prejuízos do estresse.

É possível modificar a nossa reação diante de uma ameaça real como a que estamos vivendo?

A resposta é sim! 

Não podemos mudar a situação global, mas podemos transformar a forma que a encaramos. 

Como? Transformando a ameaça em desafio! 

E de que modo fazemos isso?

Quando nos sentimos ameaçados, tendemos a achar que os recursos que temos para lidar com a crise vão desaparecer. Daí a corrida aos supermercados, a compra de produtos ao máximo, a busca por medicamentos que ainda nem obtiveram a comprovação da eficácia.

Então, ao inibir esse comportamento de querer agir de forma egoísta, já estamos tomando o primeiro passo.

Quando sentir vontade de fazer isso, pergunte-se: “a quem estou prejudicando com a minha atitude? Estou pensando também no coletivo? Como gostaria que as outras pessoas agissem comigo?”

Passo 2 – Aumentar a produção de “Dopamina” (neurotransmissor produzido quando queremos uma recompensa ou temos a intenção de ser recompensados)

  • Ela é capaz de estimular um comportamento com muita força;
  • Dá energia;
  • Somada à Adrenalina e Noradrenalina (neurotransmissores gerados no estresse) produzem mais potência;
  • Desencadeia o prazer.

Passo 3 – Faça algo em favor do social

Ao agir em prol da comunidade e não só em benefício próprio estará canalizando a sua energia gerada pela dopamina

  • Limpar o elevador;
  • Compartilhar ideias com as pessoas que prestam serviço para você;
  • Fazer compras para os idosos (se você não estiver no grupo de risco);
  • Marcar uma discussão de leitura nos grupos;
  • Usar os recursos tecnológicos para entregar valor;
  • Orientar a comunidade para os cuidados de higiene;
  • Ligar para os amigos para saber como estão e levar uma mensagem de esperança.

Passo 4 – Ampliar a produção de Ocitocina

Quando você faz algo por alguém, está criando interações sociais positivas e, com isso, vai aumentar a produção de outro hormônio chamado ocitocina, que, por sua vez:

  • Aumenta a empatia;
  • Tem efeito inibitório no estresse;
  • Vai se sentir pertencente;
  • Funciona como ansiolítico natural – experimentos comprovam isso;
  • Criar um ciclo virtuoso, porque aumenta a ocitocina do próximo também.

Passo 5 – Definir Metas Mensuráveis e com tempo limite

Ao defini-las, você terá como medi-las e, após a conclusão de cada etapa, sentirá um prazer enorme vindo da sua capacidade de realização.

Pode até ser uma meta ligada ao desafio, por exemplo:

Minha meta é procurar ao máximo manter a mim e a minha família saudável física e emocionalmente, a fim de não contrair o vírus nos próximos 3 meses.

  • Quais são as ações: 
  1. Fazer um mural com todos os cuidados de higiene; 
  2. Ligar para os pais todos os dias e confirmar se estão seguindo as recomendações; 
  3. Telefonar para uma amiga por dia e compartilhar aprendizados; 
  4. Criar um grupo de estudos de algum assunto que queira aprimorar (Ex: Inteligência Emocional);
  5. Ler 5 páginas de um livro por dia; 
  6. Fazer um resumo da leitura do dia e compartilhar no grupo… 

Lembre-se! É preciso monitorar os resultados!

Não tem jeito! Nós vamos passar por isso de qualquer maneira!

A pergunta é: “Como você quer se ver quando tudo isso acabar?”

Como alguém que agiu de forma egoísta, egocêntrica, paralisada(o) pelo medo, ansiosa(o), com descontrole alimentar, emocional….

Ou como alguém que, apesar do medo e da insegurança, contribuiu, se importou, cuidou, deu ideias, produziu, ensinou, agradeceu, compartilhou conhecimento, espalhou esperança?

Como você quer contar essa história para os seus netos?

A escolha é completamente nossa!

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

Como seu cérebro é afetado pela reclamação das outras pessoas

Ouvir alguém reclamar, lamentar o tempo todo nunca fez bem a ninguém. Isso nós já sabemos e sentimos na pele. Até mesmo quando somos nós os “reclamões”.

Por mínimas que sejam as lamúrias…

– Que calor horrível está fazendo hoje!

– Esse trânsito está de matar!

– Esse ar condicionado está muito gelado!

– Ihhh! Que comida salgada…

– Será que sou o único a trabalhar aqui?

Entender o que o ato de reclamar pode provocar no cérebro nos dará forças para buscar atitudes mais positivas e eliminar os mimimis.

Você sabia, por exemplo, que esse hábito pode afetar negativamente o funcionamento do seu cérebro?

Renomados cientistas afirmam que a negatividade e a reclamação alteram fisicamente a estrutura da mente e do corpo.

“Sinapses que disparam juntas, se mantém juntas”, afirmou o psicólogo Donald Hebb (1904-1985). 

Essa afirmação explica como o cérebro constrói suas conexões com base em tudo a que é repetidamente exposto.

Portanto, a negatividade e as reclamações irão reproduzir mais do mesmo, como essa teoria destaca.

Isso parece explicar por que é tão difícil para algumas pessoas saírem do estado de negatividade, afetando a si e aos outros, causando também um efeito em grupo:

“Quando alguém derrama um caminhão de fofocas, de negatividade e drama em cima de você, você pode ter certeza que está sendo afetado bioquimicamente, diminuindo as suas chances ser feliz.”  Alex Pietrowski, do Waking Times.

A exposição a esse tipo de influência provoca estresse, e sabemos que o estresse é inimigo da produtividade, do bem-estar e da felicidade.

Portanto, a reclamação e a negatividade afetam de maneira significativa a sua saúde e a felicidade.

Porém, como seres conscientes que somos, temos a responsabilidade de mudar esse estado.

Possuímos o poder de criar uma vida mais positiva, harmoniosa, próspera e abundante, garantindo assim a alteração positiva do nosso cérebro, dando a ele total condição de enxergar oportunidades novas e produtivas.

Para ajudar você nessa missão de alterar de maneira positiva as sinapses neurais, trago:

7 dicas práticas para acabar com a reclamação a partir de hoje:

  1. Reconheça que precisa mudar. Escreva: “Quero ser uma pessoa mais positiva!”;
  2. Defina um período para ficar sem reclamar (meta). Comece com uma semana;
  3. Identifique os “gatilhos” que disparam a reclamação. Assim, poderá redobrar a atenção nesses momentos;
  4. Comece sempre uma conversa com algo positivo. Se algo negativo escapar, imediatamente fale algo positivo;
  5. Crie lembretes e sinais para se lembrar da sua meta;
  6. Substitua o “tenho que” por “vou”, “conseguirei”, isso traz leveza nos afazeres;
  7. Exercite a gratidão, reconheça os pequenos avanços e comemore!

O que achou? Ficarei feliz em receber o seu feedback!

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

As 5 Regras TOP de Gestão do Tempo

Se fizer uma pesquisa rápida entre seus amigos e colegas de trabalho, imagino que será quase unânime: o recurso mais escasso e desejado por todos é o TEMPO!

E este é um dos meus temas favoritos, já que em grande parte da minha carreira trabalhei como gerente de projetos e me tornei uma especialista no assunto, obstinada por controlar bem o tempo.

Foram 14 anos gerenciando projetos de Tecnologia da Informação, desde projetos simples até projetos grandiosos, com orçamento de milhões de dólares, envolvendo mais de 120 pessoas ao mesmo tempo.

Bem, primeiro de tudo, para mim, há dois paradigmas que precisam ser quebrados.

Paradigmas são modelos de pensamento que a nossa cultura acaba impregnando na nossa mente e que precisamos nos livrar da alienação deles, se desejamos fazer uma gestão eficaz do nosso tempo.

# Primeiro paradigma: Tempo é dinheiro

Se o dia tem 24 horas para todo mundo, por que algumas pessoas são altamente produtivas e outras se atrapalham com a quantidade de tarefas a fazer?

Será mesmo que tempo é dinheiro?

Imagine que você perdeu R$ 300,00 que economizou para pagar uma conta e era só o que tinha, você vai dar um jeito de pegar emprestado com alguém, vai espremer daqui e dali e vai arrumar a grana.

Agora, já conseguiu economizar uma horinha de ontem para usar hoje ou pegar emprestado outra horinha de amanhã porque hoje tem muita coisa para fazer?

Impossível, né?

Então, o que diferencia uma pessoa altamente produtiva das outras é COMO essa pessoa utiliza esse recurso.

Por isso, paradigma quebrado: O tempo é muito mais valioso que o dinheiro!!!!

#Segundo paradigma: A produtividade só é possível para aqueles que se matam de trabalhar.

Vamos só fazer uma comparação:

Pense em uma indústria de alimentos enlatados que resolve aumentar a sua produção e como não quer investir em infraestrutura, resolve despejar os seus dejetos no rio mais próximo.

Ela aumentou a produção, mas de maneira insustentável, poluindo rios, destruindo a Natureza.

O mesmo ocorre quando você decide trabalhar ou estudar longas horas se privando do sono, dos cuidados com a sua saúde mental e física, sem fazer pausas, deixando de conviver com seus amigos e sua família.

Isso é insustentável!

Portanto, a produtividade está diretamente ligada à sua capacidade produtiva de maneira sustentável.

Bem, agora que já sabe que o tempo é mais valioso do que o dinheiro e que ser produtivo é respeitar os seus limites, vamos para algumas Regras de Gerenciamento do Tempo:

Regra 1 – Planeje sua semana e seu dia

  • Use ferramentas simples para o seu planejamento.
  • Os compromissos com hora marcada devem estar no seu calendário.
  • As principais atividades devem estar listadas.
  • Sua mente precisa estar clara e limpa como a água, pois assim terá energia para criar novas possibilidades.

Regra 2 – Defina suas três prioridades e comece o seu dia por elas.

  • Os afazeres não importam igualmente.
  • É preciso ter prioridades definidas; caso contrário, terá imensa dificuldade em dizer não.
  • Como o próprio nome diz, prioridade vem primeiro; portanto, essas serão sempre as suas primeiras atividades do dia.
  • Use o seu tempo mais nobre, quando tem maior energia, para fazer as tarefas mais importantes.

Regra 3 – Conheça a sua capacidade produtiva 

  • Qual é a sua capacidade produtiva?
  • Quantas horas você consegue trabalhar por dia até que a sua energia se esgote?
  • Quanto tempo costuma demorar para produzir aquele relatório mensal?
  • Quantas páginas de um livro lê BEM por hora?
  • Costuma respeitar o horário de término de suas reuniões?

Se você não souber disso, seu planejamento estará completamente furado, concorda?

Regra 4 – Faça pausas de cinco minutos a cada hora de concentração

  • A nossa capacidade de foco pode e deve ser treinada para atingir a sua performance máxima, mas essa competência é limitada e isso precisa ser respeitado.
  • A cada pausa, levante-se, alongue-se, beba muita água e respeite os seus limites. Caso contrário, será como a indústria que despeja seus desejos no rio. Lembra-se?
  • A qualquer momento que se sentir pressionado, angustiado, pare por um minuto e inspire, respire, para recobrir as suas energias. Inspire, respire e não pire (risos).

Regra 5 – Identifique o que rouba o seu tempo

  • O que mais rouba o seu tempo?
  • Quais são as suas principais distrações?
  • O que você precisa parar de fazer?
  • Quais são as emoções que roubam a sua energia?

Trace estratégias para isso!

  • Se é o celular, deixe-o longe de você.
  • Se são as interrupções de outras pessoas, busque outro lugar quando tiver que se concentrar.
  • Se são as inúmeras solicitações, aprenda a dizer não.

 

Mas lembre-se: um dos maiores ladrões do tempo são os seus pensamentos e as suas emoções.

Avance a cada semana, sinta-se progredindo.

Nada é tão bom que não possa melhorar.

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

Como receber reconhecimento pelo seu valor

Se você não comunicar a qualidade de seu trabalho e o valor de suas realizações — especialmente para as pessoas hierarquicamente acima de você —, pode estar passando uma mensagem equivocada de que não possui confiança em suas habilidades ou que não tem certeza se deseja a ascensão na organização.

Há muitos profissionais altamente competentes, que desempenham um ótimo trabalho, mas não conseguem reivindicar seus direitos e conquistas. Trata-se de um comportamento mais comum entre as mulheres.

Muitos resistem em chamar a atenção para suas realizações e sucessos e há, ainda, quem ache difícil até mesmo aceitar elogios ou que a atenção esteja voltada para si.

Em meu trabalho como Mentora de Liderança me deparo com profissionais brilhantes e muitos não querem parecer que estão se autopromovendo.

Quando pergunto o que os impede de falar sobre seu valor e realizações, recebo respostas do tipo:

  • “Meu chefe deve perceber o meu valor, não faz parte da função dele?”
  • “Não quero ser como aquelas pessoas que se julgam estrelas e ficam jogando confete sobre si o tempo todo. Detesto isso.” (eu também…rs)
  • “Não sou eu que devo falar, é papel do meu chefe saber, ué!”

Seja qual for o caso, esse tipo de pensamento prejudica muito o profissional, porque avançar na carreira, especialmente para cargos de liderança, exige ousadia e coragem.

A dica para driblar esse hábito é incentivar você a pensar em seu valor para a organização, na importância do seu sucesso e quais benefícios pode oferecer se alcançar posições mais altas de influência e impacto.

Por isso, é fundamental buscar o autoconhecimento. Se não sabe dar nome às suas habilidades e competências, como vai poder falar sobre elas?

Outro ponto, seu gestor não lê seus e-mails, não participa das mesmas reuniões que você, nem tão pouco sabe das suas habilidades em conquistar clientes, resolver problemas complexos, motivar a equipe….

Nunca devemos ter a presunção de que estamos sendo notados o tempo todo.

Se você quer mesmo ascender na carreira, receber reconhecimento por seus resultados, ter indicação para oportunidades dentro da empresa, é preciso ultrapassar essa barreira e começar a demonstrar o seu valor.

Lembre-se, sempre com ousadia, mas sutileza e humildade.

O que você fará HOJE para demonstrar o seu valor para seu chefe?

Que tal começar a treinar imediatamente?

 

Autora: Wayne Valim

Especialista em Comportamento, Inteligência Emocional e Liderança

 

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

Como ter uma mente mais criativa

Você se acha uma pessoa criativa?

Eu nunca me achei assim… Costumava dizer: “como admiro as pessoas criativas!”, sempre me excluindo desse grupo.

E quando pensamos em algo novo, mas não damos a menor bola? Depois aparece alguém com mais coragem que a gente e faz acontecer… grrr!

Acho que todo mundo algum dia sonhou criar algo inovador nunca antes criado, não é?

Desde crianças brincamos de inventores, misturamos formas, cores, texturas, objetos, sons… criamos até mesmo um mundo paralelo bem mais divertido e um amigo invisível para compartilhar os nossos segredos.

Aos poucos, os adultos vão tolhendo nossa criatividade:

“não pode isso”,

“aquilo é proibido”,

“você não sabe fazer isso”…

…ao ponto de acreditarmos cegamente que só é criativo quem nasce assim.

Um feliz engano!

“Criatividade é o que o cérebro humano faz”, afirma o neurocientista David Eagleman.

Ao longo da evolução humana, o cérebro do homem cresceu, ganhou o córtex frontal, passou de 500g para 1,5 kg e sua “nova” estrutura, responsável por planejar, priorizar, analisar e outras habilidades, também é capaz de criar, inventar e inovar…

Com seus 86 bilhões de neurônios e trilhões de sinapses, consome cerca de 25% da energia do nosso corpo, por isso, o cérebro gosta mesmo é de ficar de boa, de preservar energia e manter uma zona de conforto.

Tão esperto, mas acomodado!

Portanto, para ser uma pessoa mais criativa é preciso desafiá-lo a criar novas e diferentes conexões neurais, portanto, esses são:

OS SEGREDOS DA CRIATIVIDADE:

  • Tentar algo novo todos os dias – novos inputs criarão caminhos neurais diferentes dos corriqueiros.
  • Estar em contato constante com estímulos diferentes da sua rotina: lugares, pessoas, ideias, conceitos, estilos, idiomas… A palavra de ordem é “diversidade”
  • Estimular sua curiosidade – diga sempre: “Me fale mais sobre isso…”; “estou curiosa para saber como chegou nessa ideia”…
  • Sair do caminho de menor resistência – Não escolha o mais fácil, desafie-se!
  • Transpor limites – a cada meta atingida, aumente sua excelência!
  • Criar coisas não tão ousadas e nem tão óbvias, combinando elementos variados
  • Não ter medo de falhar – os desafios são os melhores estímulos para buscarmos novas maneiras de fazer as coisas

E outras….

Seja para surpreender o líder, resolver problemas corriqueiros de maneiras diferentes, aumentar a receita, encantar o cliente, criar seus filhos, manter aquecido o relacionamento amoroso, fazer uma viagem….

Acredite! Por natureza você é uma pessoa criativa!

A criatividade é uma competência, portanto, pode e deve ser desenvolvida, com foco e treino diário!

Já que a Neurociência nos comprovou isso, o que você fará de diferente hoje para exercitar a criatividade?

Lembre-se de que ser uma líder criativa requer exposição, conexão, curiosidade e ousadia.

E esses e tantos outros temas serão explorados no Programa Online de Formação e Mentoria da Mulher Líder de TI. Um grupo de mulheres com dores e problemas semelhantes aos de toda mulher que deseja alçar voos e mostrar o seu valor.

Você pode conhecer todos os detalhes neste link aqui:

https://cursos.waysup.com.br/mulher-de-tecnologia

Autora: Wayne Valim

Especialista em Comportamento, Inteligência Emocional e Liderança

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

7 dicas para começar uma vida mais saudável

Dar o primeiro passo em direção à qualidade de vida e a uma rotina mais saudável é difícil, dispende muita energia e, por isso, tendemos a procrastinar.

Isso vale para qualquer mudança que queira fazer, desde diminuir o cafezinho, ler mais, implantar atividades físicas à mudança de emprego ou de relacionamento.

Quanto mais tempo você estiver fazendo algo da mesma maneira, mais difícil será mudar!

Diante dessa realidade, torna-se essencial cercarmo-nos de bons profissionais.

Para motivar você a buscar essas mudanças para a sua saúde mental e física, convidei a nutricionista Milena Lopes para elaborar algumas dicas poderosas.

“Sabemos que nunca é tarde demais para tornar nossa vida mais saudável e isso provoca melhorias nos mais diversos aspectos do nosso dia a dia, como:

  • melhoria do humor,
  • disposição,
  • bem-estar
  • autoestima, além de
  • influenciar a família toda e amigos em volta.

A expectativa e a qualidade de vida aumentam ao nos tornarmos mais saudáveis, porque nossas funções corporais são otimizadas e o risco de várias doenças diminui de forma considerável.

Ser saudável é um hábito de vida, mas pode ser um grande desafio para aquelas pessoas com a vida corrida, que possuem pouco tempo para si e sem motivação para isso.

Mas é extremamente importante COMEÇAR!!

Não precisamos mudar todos os nossos hábitos, mas se melhorarmos aos poucos, com pequenas alterações, já teremos uma grande diferença a longo prazo para a saúde.

Vamos lá para as 7 dicas de como começar uma vida mais saudável??

1 – Beba mais água. 

O ideal é que seja ingerido em torno de 8 a 10 copos por dia. Então, se você bebe menos que isso, é necessário aumentar a quantidade.

Nosso corpo é constituído em média por 50% de água!! Isso já justifica a importância de bebermos bastante esse precioso líquido e renovar todas as funções que ele tem no organismo.

2 – Aumente o consumo de frutas, verduras e legumes.

Os vegetais são grandes fontes de vitaminas e minerais na alimentação, portanto precisamos de, no mínimo, 5 porções deles por dia. Varie as cores e tipos, assim obterá a maioria dos nutrientes!

3 – Tente se exercitar!! 

Se não possui tempo suficiente no seu dia, comece praticando algum exercício rápido por pelo menos 15 minutos, como subir e descer escadas, pular corda, fazer abdominais e polichinelos.

Aumente gradativamente a rotina dos exercícios, de duas vezes na semana para cinco vezes na semana (quando forem somente 15 minutos).

Caso consiga organizar seu tempo e implementar um esporte ou academia, seria ótimo!!

4 – Congele!!

Quando tiver um tempo para preparar sua refeição, faça maior quantidade e congele em potes menores. Assim, nos dias em que não cozinhar, somente descongele a comida pronta, evitando a necessidade de comprar refeições de fora de casa e que não sejam saudáveis.

5 – Reduza os industrializados.

Sempre que possível, prefira vegetais ou produtos que foram feitos em casa. Vamos tentar seguir a famosa frase “Desembale menos, descasque mais“!

6 – Evite as frituras, alimentos gordurosos e fast-foods.

O ideal é que estes não sejam consumidos, mas se não der para abrir mão, tente diminuir sua frequência no cardápio.

Note que aqui falamos de qualquer fritura, carnes gordurosas, pizzas, sobremesas gordurosas, lanches de restaurantes fast-food, etc.

7 – Prefira sucos, água e bebidas naturais.

As bebidas prontas, como sucos industrializados e refrigerantes, possuem alto teor de açúcar e de substâncias químicas, que não fazem bem ao organismo, mesmo as bebidas light ou diet.

Pronto, dê um passo de cada vez. Ao começar a seguir qualquer dica destas, já estará melhorando sua saúde.”

E aí, ficou mais fácil?

Espero que tenha gostado das super dicas da nossa nutricionista. Ela também dá muitas orientações no seu Instagram @nutri.milenalopes

Você poderá fazer contado com ela, se desejar:

Nutricionista Milena Lopes

@nutri.milenalopes

[email protected]

(11) 98732-1788

Wayne Valim

Especialista em Comportamento, Inteligência Emocional e Liderança Feminina

 

 

_______________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Como o stress pode comprometer sua produtividade em todas as áreas da vida

O diálogo interno de profissionais sobrecarregados de tantos afazeres nos vários papéis da vida começa logo pela manhã assim, ao acordar…

— Tenho um dia cheio hoje. Será que vai dar tudo certo? Não consigo mais viver nesse stress. Quando isso terá fim? Mas tudo bem. Sou forte, saudável, tenho inteligência, ‘bora’ acordar para a vida… Vou me levantar!

— Ih! Hoje tenho reunião de orçamento, quer apostar que os projetos que sugeri não vão ser aprovados? Todo ano a mesma história, nem sei por que me pedem para fazer planejamento… Não tenho voz ativa, não confiam em mim.

— Nossa! Estamos atrasados, deixar as crianças na escola vai me fazer chegar atrasada na reunião, mas não tenho saída…— Vamos, meninos! Rápido, rápido! Por que esse trânsito não anda???? Essa cidade vai me matar!

— Ei, por que você não sai logo da minha frente??? Hoje, só devo voltar pra casa às 8 horas da noite, minha agenda está lotada… queria tanto poder ter um tempo só pra mim, poder ler, estudar, fazer atividades físicas… Ei! Acorda pra vida, sua tonta, isso não é possível…”

Você se identifica com, pelo menos, parte dessa sensação de impotência diante da enormidade de tarefas diárias?

O mais interessante é não conseguirmos perceber que esse turbilhão de pensamentos, medos e emoções negativas podem nos levar a níveis altos de stress.

Confusão mental, lapsos de memória, falta de concentração, controle cognitivo comprometido são alguns dos prejuízos do stress.

Os nossos preciosos recursos cerebrais ficam prejudicados e não conseguimos

  • tomar decisões sensatas,
  • pensar com clareza,
  • comunicar de forma objetiva,
  • orientar e liderar a equipe,
  • usar a criatividade na solução de problemas…

Daniel Goleman afirma que “a preocupação crônica, funciona como um sequestro emocional de baixa intensidade.

As preocupações parecem surgir do nada, são incontroláveis, geram um rumor constante de ansiedade, são imunes à razão e prendem aquele que se preocupa numa única e inflexível visão do tema que o preocupa.

Numa intensidade maior, pode beirar a sequestros neurais completos e ansiedade.”

“A amígdala é o radar de ameaças do cérebro e colabora para as rápidas tomadas de decisão. No entanto, o sequestro da amígdala, especialmente no trabalho, nunca terá benefício para qualquer pessoa, sempre tem um efeito negativo.”

E você pode estar pensando…

“Mas, Wayne, tem como ser diferente? O mundo de hoje é assim…”

Bem, eu penso que tem jeito sim, sabe por quê?

Eu não posso mudar o mundo ao meu redor, mas posso aprender a lidar melhor com o meu mundo interior e ser mais positiva e produtiva, sofrer menos!

É importante entender que o corpo humano foi projetado para ser capaz de ter uma explosão de reações ao lidar com uma emergência para, depois, se recuperar.

Por exemplo, livrar-se de um cão furioso, fugir de um carro desgovernado, proteger-se de um ataque…

Mas, durante essa emergência (sequestro emocional), em que é necessário ter ações rápidas de “lutar ou fugir”, a fim de manter nossa segurança, o corpo pega energia do sistema imunológico, de recursos que você precisa para se manter saudável.

Já viu como ficamos exaustos depois de um grande susto?

Então, imagine isso acontecendo em grande escala e com uma frequência muito grande, quase todos os dias…

Se você estiver sempre sob stress e nunca se recuperar, ficará doente e emocionalmente desgastado.

Como sempre gosto de finalizar com algumas dicas, essas boas práticas são bastante eficazes:

1 – Distrair-se

Numa situação de stress ou tensão, coloque sua atenção:

  • na paisagem lá fora,
  • na pintura bonita da sala de reuniões,
  • na lembrança da carinha engraçada do seu filho pela manhã,
  • no café fresquinho oferecido para a turma…

Criatividade vai bem nessa hora.

É o que fazemos com as crianças, já percebeu? Funciona para nós também.

2 – Aprender a contestar os pensamentos de ruminação

A cada memória negativa de um erro cometido, indecisão, algo que deveria ter dito e não falou, um branco numa reunião de negócios… rebata!

Enumere os benefícios:

– Pelo menos não perdi o amigo,

– O que aprendi com esse erro nunca mais vou me esquecer,

– As pessoas se ligaram mais a mim, porque viram que sou humana(o).

3 – Tenhas metas claras, planeje e eleja prioridades

Definir metas de maneira inteligente vai ajudar você a dizer não para o que não é importante.

Como afirmou Steve Jobs (1955-2011), “decidir o que não fazer é tão ou mais importante do que decidir o que fazer.”

Além de tantas outras práticas importantes para o seu bem-estar, as quais você já conhece:

  • Adotar a Mindfulness,
  • Praticar Atividades físicas,
  • Ter hobbies,
  • Dançar,
  • Manter contato com a natureza,
  • Estar com a família e amigos,
  • Exercitar a gratidão verdadeira
  • Realizar trabalhos voluntários,
  • Encontrar um trabalho que dê mais prazer…

É preciso encontrar meios para harmonizar cabeça e coração!

Cada um tem o seu jeito de encontrar o seu ritual de fortalecimento. Qual é o seu?

Cuide-se!

Autora: Wayne Valim

___________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Líder de primeira viagem? Saiba o que você precisa dominar…

As dicas de hoje são dedicadas às pessoas que assumiram pela primeira vez uma posição de liderança, que se preparam para alçar voos em sua carreira ou, ainda, para quem começou um empreendimento.

Quando a tão esperada promoção acontece, muitas pessoas costumam pensar que “chegaram lá”. Todo o trabalho duro como colaborador individual foi recompensado. O que é verdade e deve ser comemorado, claro!

Mas a maioria acaba se esquecendo de que, ao nascer um novo líder, novos hábitos e comportamentos são igualmente necessários.

O sucesso como gerente de primeira viagem exige uma grande transição para a qual muita gente não está preparada.

Há uma frase comum que diz: “O que te trouxe até aqui não te levará ao próximo nível”.

E essa é a primeira verdade absoluta para quem começou a carreira nos primeiros níveis e por mérito conquistou uma posição de gestão.

Talvez o maior desafio seja entender que agora você é responsável por garantir que o trabalho seja feito e entregue por outras pessoas e não mais por si só.

Alguns hábitos específicos podem ser ainda mais difíceis de ser mudados, porque funcionaram bem no passado, durante o avanço na trajetória de crescimento profissional.

Esses comportamentos podem até ser virtudes dentro de relações pessoais, familiares, enfim, fora do trabalho. No entanto, neste estágio da jornada profissional, eles se tornam comportamentos de autossabotagem.

Os autores do livro Pipeline de Liderança afirmam que a passagem de colaborador individual para gerente de primeiro nível requer que as pessoas adquiram uma nova forma de gerir e liderar, além de deixar seus velhos hábitos para trás nas três áreas seguintes:

1 – Habilidades necessárias – as novas competências requeridas para executar responsabilidades diferentes. Por exemplo:

  • Antes, o domínio técnico ou especializado e a utilização de ferramentas, processos e procedimentos garantiam grande parte da sua entrega.
  • Agora, é preciso aprender a delegar, avaliar desempenhos, dar feedback, criar estratégias de motivação, comunicação com os times, entre outras competências.

2 – Gerenciamento de tempo – novas formas de organizar o tempo, determinando o modo como alguém trabalha:

  • Antes, a disciplina diária e o cumprimento de prazos pessoais para os projetos e tarefas eram o seu foco principal.
  • Agora, a gestão do tempo requer fluência no planejamento anual, orçamentos, disponibilidade de tempo para os subordinados, priorização de atividades para o departamento, tempo para relacionamento com outras áreas da empresa, fornecedores, clientes…

3 – Valores profissionais – o que as pessoas acreditam ser importante, tornando-se assim o foco de seus esforços:

  • Antes, o mais importante era valorizar a proficiência profissional, o trabalho técnico de alta qualidade, o esforço individual.
  • Agora, os valores precisam incorporar os demais como: atingir resultado por meio dos outros, construir laços de confiança com a equipe, garantir o sucesso do time e do departamento, utilizar métodos gerenciais, ver-se como gestor…

Como você pode perceber, são muitas as mudanças, e, assim como qualquer transformação, é preciso foco, planejamento e acompanhamento do progresso.

Fácil não é, mas é possível e enriquecedor. Trata-se de uma trajetória que nos enriquece e nos torna melhores como seres humanos.

Alguns atalhos podem ajudar você:

1 – Busque o autoconhecimento pragmático, entenda o seu perfil comportamental, mapeie suas competências, busque ajuda profissional, se for preciso. Isso vai ajudar você a conhecer melhor a sua equipe também.

2 – Faça o mapeamento do perfil comportamental da equipe, assim poderá traçar o desenvolvimento profissional de cada um e acompanhar o progresso do time.

3 – Esqueça o perfeccionismo. Ele é um forte entrave para atingir a excelência. Valorize os próprios erros e os da equipe.

4 – Seja humilde para reconhecer que precisa de ajuda e que não domina tudo. O importante agora não é saber tudo, mas ter um time multidisciplinar que sabe tudo.

5 – Saia da sua mesa. O seu lugar agora é fora da sua sala, criando relacionamentos e conquistando aliados para facilitar o trabalho da sua equipe.

6 – Tenha um(a) mentor(a). Seja buscando um Mentor profissional ou Líderes experientes da própria empresa, ter alguém com quem pode aprender encurta caminhos e reduz sofrimentos.

Lembre-se de que, nesses momentos desafiadores, é preciso contar com as pessoas que você confia, trocar ideias e ouvir as histórias daqueles que já passaram por essa fase pode ser de grande valia.

Espero que tenha gostado das dicas de hoje. Elas foram inspiradas por situações e dilemas que meus mentorados vivenciam em sua rotina diária. Percebo que pequenos ajustes e algumas técnicas simples trazem grandes benefícios para uma liderança com mais leveza.

Autora: Wayne Valim
Especialista em Inteligência Comportamental de Pessoas e Organizações

__________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Por onde começar quando me sinto perdida e confusa?

Nem sempre é fácil escrever um artigo, nem sempre é fácil gravar um vídeo, nem sempre é fácil começar…

Estava aqui pensando no tema que gostaria de escrever para você e nada de me definir…rs.
Não pela falta de assuntos interessantes, pois tenho uma lista enorme deles que vou acumulando a cada insight que tenho ou a cada novidade que tomo conhecimento.

O problema é mesmo a falta de inspiração, às vezes, para discorrer sobre o assunto!

Quantas vezes precisamos sair de casa para o trabalho, chegar cedo na empresa, dar conta de inúmeras atividades, ou mesmo cuidar da casa, organizar as coisas pessoais e não temos inspiração e nem motivação alguma?

Mas, acabamos indo de qualquer jeito, não é? Vamos arrastados, muitas vezes, pois temos família para criar, equipe para liderar, contas para pagar, vida para seguir…

Já se sentiu assim?

Então, o que fazer nessas situações? Como driblar a “maré baixa” e encarar o que precisa ser enfrentado?

Eu penso que pode ser assim: agindo, iniciando, dando o primeiro passo, indo à luta!
Quanto mais eu penso:

  • “não estou a fim”,
  • “não queria fazer isso”,
  • “que chato”,
  • “que tédio…” pior vai ficar.

Nossos pensamentos são tão poderosos, a ponto de dispararem milhões de sinapses que se manterão juntas e ganharão proporções negativas gigantescas em nossos cérebros, caso não quebremos essa corrente quando percebermos a situação.

Diante de desafios, tarefas longas, complicadas ou desagradáveis, nosso cérebro racional pode se tornar uma vítima das nossas emoções e, nesses casos, o melhor a fazer é retomar o controle, concentrando primeiro nos objetivos pequenos.

No meu caso, quando sento para escrever e a inspiração não vem, me concentrei nas primeiras linhas da mensagem, e depois mais uma e mais uma, expandindo gradualmente, até alcançar os melhores e maiores desafios.

Portanto, quando estiver …

  • inerte,
  • sem saber que caminho seguir,
  • por onde iniciar,
  • se vai ou se fica…

COMECE e, se necessário, mude o trajeto, mas não fique parada, esperando algo acontecer, porque se você não tomar o controle e agir, nada sucederá.

E, à medida que vai percebendo a sua capacidade, novas e positivas emoções surgirão e darão lugar a outras possibilidades, aumentando a criatividade.

O psicólogo, pesquisador e escritor Shawn Achor afirma em seu livro The Happiness Advantage [A vantagem da felicidade]:

“As emoções positivas inundam nossos cérebros de dopamina e serotonina, substâncias químicas que não só nos fazem sentir bem como ativam os centros de aprendizado de nossos cérebros para níveis mais altos.  

Elas nos ajudam a organizar informações novas e nos possibilitam criar e sustentar mais conexões neurais, o que nos permite pensar de forma mais rápida e criativa, nos tornar mais habilidosos em análises complexas e resolução de problemas e ver e inventar novas maneiras de fazer coisas “. 

Fantástico, não? Perceba como as sensações positivas foram importantes para eu continuar escrevendo, adicionando informações e olha só: com uma lista de assuntos para compartilhar com você, acabei escolhendo uma situação nova!

E assim, frase por frase, concluo mais uma mensagem para você, me sentindo muito bem agora!

E sabe de uma coisa? Depois que comecei, até que foi fácil, porque o prazer que sinto ao me comunicar com você sempre me deixa cheia de energia!

Autora: Wayne Valim – Especialista em Inteligência Comportamental e Alta Performance de Pessoas e Organizações

*O livro que cito é uma das muitas dicas que deixo para meus mentorados de liderança e meus alunos de Alta Performance.

The Happiness Advantage: The Seven Principles of Positive Psychology That Fuel Success and Performance at Work. By Shawn Achor (2010)

[O Jeito Harvard de ser feliz: os sete princípios da psicologia positiva que alimentam o sucesso e a performance no trabalho] Por Shawn Achor (2010)

___________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

Desacelere, por favor!

Ontem, entrei no elevador de um prédio bem alto em Goiânia/GO, e o meu destino era no 38º andar.

Então, para quebrar o gelo, disse à mulher ao meu lado: — Agora vamos fazer uma viagem…

Ao que ela respondeu: — Pois é! Trabalho aqui e, às vezes, acho que ele demora tanto que fico agoniada.

Vale ressaltar que esse edifício é um empreendimento supermoderno e, portanto, os elevadores são muito rápidos.

As pessoas estão tão aceleradas, que…

  • O semáforo mal abre e já tem alguém buzinando;
  • Se o telefone chama mais que 3 vezes, “não tem ninguém do outro lado”;
  • É melhor não desligar o computador, para não ter que esperá-lo ligar no dia seguinte;
  • Se a fila está grande, há sempre alguém furioso e pronto para discutir com o caixa;
  • Faixa de pedestre? Não dá para esperar… melhor que ele espere, não o motorista…

Perdemos o foco facilmente, paramos as atividades pela metade, esquecemos a chave, de retornar as ligações, de tomar o remédio, o que estávamos falando mesmo?…

Se deitamos para descansar, o pensamento continua acelerado a mil por hora, acordamos cansados na manhã seguinte e tudo começa novamente…

Essas atitudes vão se transformando em um padrão comportamental dos brasileiros, e, infelizmente, assim aparecemos nos tristes números dos problemas de saúde mental:

O Brasil é considerado o país mais ansioso e estressado da América Latina.

9,3% da população brasileira sofrem de ansiedade, segundo a Organização Mundial da Saúde em sua última pesquisa, de 2018.

As mulheres sofrem mais com o problema: cerca de 7,7% delas são ansiosas e 5,1%, deprimidas. Já entre os homens, o número cai para 3,6% nos dois casos.

E esse padrão vai roubando de nós algumas preciosidades:

  • a nossa paz interior;
  • a quietude d’alma;
  • nossos valores morais e éticos (quando nos tornamos egocêntricos a ponto de nem sequer esperar o pedestre passar, o nosso velhinho expressar suas ideias, nossos filhos aprenderem pelos erros…).

Diante desses fatos, se eu puder deixar a você uma única dica nesta mensagem de hoje é: Por favor, DESACELERE!

Preste atenção em você!

O que está deixando escapar?

Quais são seus valores mais nobres, para os quais não tem dado atenção?

O que é mais importante para você?

Sem dúvida, nosso tempo é precioso e não queremos perdê-lo, mas a grande questão é: com o que o estamos ocupando?

Acredite! Há outras maneiras de viver e, ainda assim, sermos bem-sucedidos em nossa profissão e na vida!

Cuide-se!

 

http://www.waysup.com.br/conheca-a-coach-wayniere-valim/

___________________________
Gostou? Compartilhe: