Como vencer as divergências nos relacionamentos interpessoais

relacionamentos interpessoais

Pessoas que sabem se relacionar bem com outras são facilmente reconhecíveis. Elas têm uma grande facilidade de fazer amigos e de estabelecer vínculos onde quer que estejam. Com uma boa comunicação e empatia podemos vencer aquela barreira que nos impede de lidar com pessoas difíceis. Pessoas bem tratadas verdadeiramente e com uma boa interatividade vão ao poucos se sentindo mais valorizadas e, consequentemente, apresentam um crescimento pessoal em suas relações, sendo bem mais produtivas e saudáveis no dia a dia.

Tudo começa com a gente
Somos seres sociais que necessitam da relação com outras pessoas para vivermos em harmonia. Precisamos ver, encontrar, interagir e trabalhar com diversos tipos de pessoas, cada um com suas qualidades, defeitos e desejos. Algumas combinam com nossos gostos, outras divergem nesta ou naquela opinião ou se comportam de maneira diferente diante de uma determinada situação e aí pensamos: “Fulano não poderia falar isto assim, se eu fosse ele(a) falaria de outra maneira” e outros comentários afins.

Há casos que o problema chega a ser grave, como ignorar um colega de trabalho com quem deveria interagir o tempo todo, fracassar na construção de um relacionamento positivo com um cliente importante ou perder a oportunidade de encorajar um filho inseguro e até no dialogar com pai ou mãe.

Muita gente acaba creditando seus sucessos e insucessos aos relacionamentos construídos ao longo de suas vidas.

Estamos prontos para nos relacionar com os outros?
Segundo Stanley C. Allyn , “A pessoa mais útil do mundo hoje em dia é o homem ou a mulher que sabe lidar com os outros. Relações Humanas é a ciência mais importante da vida.”

Podemos ver a seguir alguns princípios pessoais que nos ajudaram a construir relacionamentos saudáveis e eficazes:

1º Princípio: Quem você é determina o que você vê

Havia um homem que tinha nascido e vivido no Estado do Colorado, então mudou-se para o Texas e logo construiu uma casa que tinha uma janela enorme, da qual podia contemplar centenas de milhas de terras vazias, prontas para cultivar e criar animais. Quando lhe perguntaram se gostava daquele lugar, então ele respondeu:

– O único problema é que não tem nada para se ver.

Nesta mesma época, um texano mudou-se para o Colorado e construiu uma casa com uma grande janela, da qual podia olhar as montanhas. Quando lhe perguntaram o que achou da vista, ele respondeu:

– O único problema com este lugar é que não dá para ver nada por causa dessas montanhas aí na frente.

Esta história revela um fato: o que as pessoas veem é influenciado por aquilo que elas são. Pessoas na mesma sala olharão para as mesmas coisas e verão tudo de maneira diferente.

Cada um de nós tem seu modo de pensar e ver as coisas. Cada um de nós tem seu jeito de ser, e é isso que dá o tom a tudo. Não são as coisas à nossa volta que determinam o que vemos, e sim o que há dentro de nós.

2° Princípio: Quem você é determina como você vê os outros

Certa vez um viajante que se aproximava de uma grande cidade avistou um velhinho que estava sentado à beira da estrada e perguntou:

– Como são as pessoas desta cidade?

– Então o velhinho devolveu:

– Como eram as pessoas do lugar de onde veio?

– Horríveis – disse o viajante. – Estas eram pessoas más, nada confiáveis, detestáveis em todos os sentidos.

Em seguida respondeu o velhinho:

– Ah! Você verá a mesma coisa aqui nesta cidade.

Assim que o viajante foi embora, outro parou para perguntar sobre a mesma cidade. O velhinho perguntou para o segundo peregrino como eram as pessoas do lugar de onde vinha.

Este respondeu:

– Eram pessoas muito boas, honestas, trabalhadoras e bem generosas. E completou: – Fiquei triste por deixá-las.

O velhinho respondeu prontamente:

– É exatamente o que você verá nas pessoas desta cidade.

Podemos concluir nesta história que a maneira da qual as pessoas veem as outras é a projeção delas mesmas. Isto significa que, se sou uma pessoa confiável, verei as outras como confiáveis. Se sou crítico, acharei o mesmo dos outros. Se sou atencioso, para mim os outros serão pessoas compassivas.

Todavia, sua personalidade vem à tona quando você fala das outras pessoas e interage com elas.

3° Princípio: Quem você é determina como você vê a vida

Certo dia, um avô dormia no sofá quando seus netinhos resolveram pregar-lhe uma peça. Foram até a cozinha, abriram a geladeira e pegaram um pedaço de queijo fedorento e esfregaram no bigode do idoso. Em seguida, esconderam-se num canto para ver o que aconteceria. Depois de algum tempo, o nariz do avô começou a mexer e a cabeça a sacudir. Finalmente, o velhinho sentou-se no sofá com uma cara de nojo e disse:

– Alguma coisa por aqui está fedendo!

Levantou-se, arrastou-se até a cozinha, deu uma cheirada longa e disse:

– Aqui dentro também está fedendo.

Àquela altura, decidiu sair e respirar ao fresco, mas quando inspirou profundamente, lá estava o cheiro ruim de novo.

Então exclamou e disse:

– O mundo inteiro está fedendo!

E aí, você que está acompanhando até agora, qual é a moral da história?

Pense um pouco e responda.

Pois bem, para uma pessoa que vive com um queijo fedorento embaixo do nariz, tudo cheira mal mesmo!

A única maneira de mudar o modo de ver a vida é transformando-se por dentro. Desejar mudar o seu interior é um grande passo para ajudá-lo a ter relacionamentos saudáveis.

Segundo Eleanor Roosevelt “Ninguém pode fazer-nos sentir inferiores sem nosso consentimento”. Em outras palavras, utilizando uma citação do psicólogo e escritor Phil McGraw: “É você quem ensina como os outros devem tratá-lo”. Você ensina a partir da maneira como você vê a vida. E a maneira como vê a vida é resultado de quem você é.

Enfim, você é capaz de pensar que o lugar que mais gosta é onde você está e fazer deste lugar o melhor possível. Se você conseguir manter uma perspectiva como essa, sempre verá a vida de maneira mais positiva.

4° Princípio: Quem você é determina o que você faz

Vou contar-lhes uma história de um espantalho que foi enviado para o galinheiro para botar ovos. Você deve estar pensando: “que coisa mais esquisita, um espantalho botar ovos, onde já se viu?“. Mas prossiga para entender a moral desta no final. Ele trabalhava o dia inteiro, e em termos físicos, estava em sua melhor forma. Bem, cercado de galinhas botando ovos quase automaticamente, o espantalho tenta e insiste o quanto pode. No entanto, no fim do dia, exausto, este constata que fracassou em produzir ao menos um ovo. Estava bem chateado por, apesar de tanto esforço, não conseguir nada.

Você então vai dizer: “É claro que ele não ia conseguir, pois ele não poderia botar ovos.”

É muito óbvio que quem bota ovos são aves e as ovelhas produzem lã. É fácil entender que as habilidades naturais afetam aquilo que fazemos. Mas nossa maneira de pensar e nossas atitudes são parte de nós, assim como nossas habilidades. Elas também determinam o que fazemos.

Para finalizar essa parte gostaria de mencionar as palavras do escritor Charlie Jones que são bem verdadeiras: “a diferença entre quem você é hoje e quem você será daqui a cinco anos está nas pessoas com quem você passa mais tempo e nos livros que lê.”

A maneira de ver os outros é determinada pelo que você é. Não dá para fugir dessa realidade. Se alguém não gosta da gente, isso revela muito sobre essa pessoa e sobre o modo como ela encara os relacionamentos pessoais. Portanto, não tente mudar os outros, mude primeiramente você em relação aos outros. Nem mesmo se concentre neles, mantenha o foco em si. Se conseguir mudar e se tornar o tipo de pessoa que deseja, começará a ver os outros sob novas lentes, e isso transformará a maneira de interagir em todos os seus relacionamentos.

Faça agora mesmo uma lista das qualidades pessoais que gostaria de cultivar e coisas em você que desejaria mudar. Crie um plano de crescimento para desenvolver suas qualidades.

Assim afirma Maxwell : “Nossa habilidade de construir e manter relacionamentos saudáveis é o fator mais importante para se sair bem em qualquer área da vida.”

Artigo extraído e adaptado de Psicologia Viva.

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

 

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo Relacionado