Currículo de mãe: Como a maternidade pode torná-la uma melhor profissional

Conheço muitas mães que entram em crise profissional após a maternidade ou mesmo antes de engravidar. Há um dilema cutucando os seus pensamentos todos os dias: vou conseguir me dar bem no trabalho e ser uma boa mãe ao mesmo tempo?

Após a gestação, uma nova vida nasce sem que a mãe tenha feito nenhuma especialização preparatória e, depois de alguns meses e anos, ela se vê com habilidades que nunca nem pensou em ter.

O fato é que a mãe desenvolve no convívio com os filhos competências importantes também para sua carreira. Pesquisas atestam, por exemplo, que a mulher após a maternidade se torna mais dinâmica, sensível e habilidosa.

Veja outras competências desenvolvidas:

  1. A criatividade aumenta junto com a barriga. A mudança do corpo e da rotina de vida exige que sejamos criativas. Tudo é muito novo e é preciso se reinventar a cada dia.  Usamos todos os sentidos para proteger, cuidar, economizar, como combinar as refeições, brincadeiras, contar histórias;
  2. A percepção de si e dos outros se desenvolve, até a audição muda para identificar o choro do bebê entre dezenas de outras crianças; o filho aprende tudo e a mãe passa a prestar atenção em todas as suas falas e atitudes;
  3. Resiliência: não dá tempo de ficar curtindo um fracasso… a vida segue! Aliás, a mãe que trabalha fora não vai pedir demissão por qualquer discussão. Ela se torna menos impulsiva porque sabe que tem alguém muito importante que depende dela em casa;
  4. Multitarefa: dar mamadeira, balançar o carrinho, atender o telefone, cozinhar, tudo ao mesmo tempo. Todos os membros do corpo são usados, sem contar as diversas atividades do filho que ela precisa coordenar;
  5. Trabalhar sob pressão: ninguém trabalha mais sob pressão do que as mães… só uma mãe sabe o que é preparar uma mamadeira com a criança berrando nos seus ouvidos;
  6. Relacionamento interpessoal: quem tem mais de um filho, sabe que cada um é de um jeito. A mãe lida com temperamentos diferentes o tempo todo;
  7. Persuasão: quem melhor do que a mãe para convencer o filho a comer legumes, a escovar os dentes, a ir para o primeiro dia de escola… Influência pura!
  8. Gestão de recursos: toda mãe sabe que os recursos são escassos: dinheiro, comida, roupa, pessoas para ajudar… É questão de sobrevivência;
  9. Marketing: quer melhor comercial do que mostrar como é importante comer tudo, escovar os dentes, vestir a blusa de frio? A publicidade no primeiro dia de escola, vestir a roupa que a mãe quer e não a que a criança deseja são outros bons exemplos. É marketing na veia!
  10. Gestão de conflitos: aquelas que possuem mais de um filho, já sabem como é ter que apaziguar as brigas dos irmãos. Aliás, basta nos lembrarmos da nossa infância. Minha mãe, por exemplo, era mestre em fazer todo mundo se perdoar depois dos “arranca-rabos”;
  11. Criar Motivação: a festa que uma mãe faz depois do primeiro xixi no piniquinho ou quando a criança come toda a comida é de tirar o chapéu! Ela se transforma em uma atriz nata!
  12. Empatia e criar conexão: até 1 aninho de idade, não temos outra forma de comunicar senão pelas expressões faciais do bebê. A mãe passa a ler cada levantar de sobrancelha ou ruguinhas na testa. Ela sabe quando é dor de ouvido ou barriga só pelo tom do choro;
  13. Proatividade: antes mesmo do bebê chorar de fome, a mãe antecipa todas as suas necessidades.
  14. Coordenar várias atividades ao mesmo tempo. Levar uma filha no balé, a outra no inglês, coordenar os horários de levar na escola, quem fica com a criança, quem vai às compras… Ufa!

E há tantas outras habilidades desenvolvidas com a maternidade mesmo depois que os filhos crescem.

Todas essas habilidade e competências são suas, mãe! Aproprie-se delas e as enriqueça com novos aprendizados.

Posso dizer, por experiência própria, ser mãe é mais do que fazer uma pós-graduação, mais do que um mestrado em liderança e gestão de pessoas.

Até penso que um dia vão publicar uma vaga de emprego assim: “Precisa-se de profissional com habilidades específicas das Mães”. E esse “pacote” será mandatório para o cargo. Afinal, tem coisas que só quem já viveu a experiência de ser mãe sabe fazer!

Sei ainda que para muitas mulheres, e homens também, ficar em casa cuidando dos filhos é uma opção maravilhosa e muitas vezes necessária.

Dou total apoio a qualquer pessoa que tome essa decisão, mas o que desejo mesmo é que essa seja uma decisão voluntária, uma opção e não algo movido pelo sentimento de culpa ou medo.

Aliás, gravei um vídeo que fala como as mães devem lidar com esse sentimento: LINK do vídeo das mães

Como disse, a maternidade e a carreira podem andar juntas e o que você aprende com uma, pode e deve ser usada na outra. 

Portanto, siga com mais leveza e aproveite cada momento com seus filhos, perdoando-se, aprendendo, consciente de que suas atitudes como profissional dedicada também transferem valores fundamentais para que seus filhos sejam bem-sucedidos no futuro.

 _____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

Conteúdo Relacionado