Não deixe ninguém hackear suas emoções

Em tempos de invasões de telefones, sites, contas de e-mail, chats e redes sociais no meio político, me chama a atenção outro tipo de invasão e sequestro: o das nossas melhores emoções.

É fácil identificar pessoas que têm o poder de invadir a nossa paz e roubar o nosso entusiasmo e alegria.

Elas estão por todos os lugares: no trabalho, na família, entre os amigos, na sociedade…

Surgem com suas críticas,

  • reclamações infindáveis,
  • grosserias,
  • fofocas,
  • falta de respeito,
  • imposições,
  • injustiças,
  • dominâncias,
  • piadinhas de mau gosto,
  • ou até mesmo com comentários inapropriados…

Algumas, até bem-intencionadas, infiltram suas sementes em nossos pensamentos, perturbam o ambiente, espalham-se como epidemia e causam certo estrago em nosso equilíbrio interior.

O que fazer? 

Como reagir?

É possível se proteger e se preparar sem que nos rebaixemos ao nível delas?

Eu acredito que SIM!

Em minha longa jornada de vida (nem tão longa assim…rs), já vivi maus bocados e lidei com gente de todo jeito. Quem nunca, né?!

Usei táticas poderosas, outras muito ruins mesmo, algumas até criativas, outras bem bobinhas e comuns.

Hoje, com o meu conhecimento, faria muita coisa diferente…

Por isso, compilei as melhores estratégias aqui para você, não só saber lidar com elas, mas, principalmente, aprender a se proteger, a eliminar as brechas e a tornar-se impermeável às investidas desses pobres seres que ainda precisam aprender muito na vida.

Com disse Dalai Lama: “Deixe ir as pessoas que somente chegam para compartilhar queixas, problemas, histórias desastrosas, medo e julgamentos dos demais. Se alguém busca uma lixeira para deixar seu lixo, não deixe que seja a sua mente”.

Antes, vamos entender como esses fatos acontecem em nossas mentes.

As nossas reações emocionais súbitas e mais fortes são disparadas por uma estrutura cerebral chamada amígdala.

Sua função é identificar riscos para a preservação do ser humano e acionar as principais reações ligadas à sua sobrevivência.

A amígdala geralmente comete erros, particularmente nos dias atuais, em que a maioria dos perigos são apenas imaginários, ou seja, não estão ligados de fato a riscos de preservação da vida.

Se você deseja se proteger, eliminar as brechas e tornar-se impermeável aos hackers emocionais aqui estão

As 5 dicas mais eficazes para reconquistar o seu poder emocional.

  1. Identifique os seus gatilhos emocionais

Qual foi a semente daninha que “mexeu” com você?

Geralmente, são ataques aos seus valores mais importantes.

Por exemplo, à sua liberdade, ao seu senso de justiça, à harmonia que você preza, ao reconhecimento que espera, à honestidade, à ética…

Reconheça, entenda, mas não seja um solo fértil para essa semeadura.

  1. Tenha consciência imediata das emoções que está sentindo

Qual é a principal emoção negativa sentida após o “ataque”? Medo, raiva, frustração, insegurança, irritação…

Ter autoconsciência dos sentimentos nos ajuda a interromper o fluxo negativo e a impedir que essa emoção se intensifique e se transforme em algo maior, por exemplo, de irritação virar raiva, de medo virar terror…

  1. Mantenha seus pensamentos em foco

Desative o impacto que essas pessoas podem provocar em você.

Escolha os pensamentos e emoções que deseja sentir.

Pergunte a si [email protected], “Em vez de raiva, o que desejo sentir?”.

Tranquilidade, sossego, leveza, alegria…

Invente um mantra e repita-o todos os dias.

Por exemplo,

  • “Sou uma pessoa positiva”,
  • “Sou forte e impermeável”,
  • “Sou uma pessoa pacífica e manterei a minha essência”,
  • “Ninguém vai roubar a minha energia”

Você pode até mesmo se imaginar com a armadura do Homem de Ferro… (risos)

A simbologia nos ajuda a fixar os pensamentos que desejamos ter.

  1. Planeje respostas adequadas a essas situações

Nunca responda com a mesma moeda. Se fizer isso, vai deixar que suas reações cerebrais mais primitivas dominem você.

Depois, vai se sentir mal, [email protected], triste… e será muito pior.

Elabore respostas inteligentes e as memorize para esses momentos:

  • “Bem, agora que desabafou, o que tem de positivo para me contar?” (reclamações).
  • “Prefiro falar do que as pessoas têm de bom” (fofocas).
  • (Interrompa) “Adoraria falar com você agora, mas acabei de me lembrar de algo que preciso fazer agora” (negativismo).
  • “O que eu posso fazer para lhe dar segurança de que o trabalho será entregue?” (controles excessivos).
  • “Desculpe-me, mas prefiro pensar nas soluções. O que faremos?” (vitimismo)
  • (Postura firme) “Percebo que não é um bom momento para falarmos. Vamos conversar depois?” (grosserias).
  1. Procure pessoas positivas

Diga “não” a pessoas que roubam a sua energia.

Procure influenciá-las positivamente, converse, ofereça ajuda, oriente-as, tenha empatia com as suas histórias e seu momento de vida.

Mas, se perceber que ainda não chegou o momento da mudança delas, perdoe-as, tenha compaixão e afaste-se gentilmente.

Busque, na medida do possível, conviver com quem que se alegra com o seu crescimento, acredita em você e incentiva o seu progresso.

Afinal, somos a média das pessoas com as quais convivemos diariamente.

E mais um lembrete crucial, toda e qualquer emoção ruim que sentimos é por uma única e exclusiva razão: a permissão que damos para que essas pessoas nos machuquem, magoem e tirem o melhor de nós.

Quando consegui entender isso, assimilei o poder da autorresponsabilidade, então assumi o comando e hoje posso dizer que me sinto mais forte contra qualquer investida negativa.

Ainda tenho muito a desenvolver, mas, com um passo a cada dia, me tornarei um ser humano melhor e melhor.

Portanto, fortaleça-se!

Autora: Wayne Valim

Crédito da imagem: https://www.cybertalk.org/

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Conteúdo Relacionado