Arquivo: Mulher

O efeito da gratidão no cérebro e no coração

Lembro-me como se fosse hoje quando decidi parar de reclamar. Me peguei reclamando de tudo: do ar-condicionado, do sol forte, do trânsito, do barulho das crianças…

E logo eu, que tinha muita dificuldade em lidar com pessoas “reclamonas”… Lá estava eu fazendo o mesmo.

Envergonhada por isso, decidi virar o jogo!

E, para ativar outras partes do meu cérebro, resolvi substituir essa terrível mania de reclamar por um dos hábitos mais poderosos para a nossa felicidade.

O maior problema é que a ausência dessa potente prática está por parte, em quase todas as pessoas. Ou seja, estamos muito mais habituados a nos queixar de tudo e de todos e não nos atentamos para o mal que isso pode provocar em nossa rotina.

E isso dificulta ainda mais a mudança de atitude. É preciso força e perseverança para a transformação.

Esse hábito poderoso é a GRATIDÃO!

“A gratidão é um antídoto contra emoções negativas: quanto mais uma pessoa for grata, menos chance ela tem de ficar deprimida, ansiosa, solitária ou neurótica”, afirmou a doutora Susan Andrews, psicóloga da Universidade de Harvard, em seu livro A Ciência de Ser Feliz.

Diversos experimentos comprovam que ser grato traz diversos benefícios, inclusive contribui de maneira significativa para a FELICIDADE.

Ao apreciarmos as coisas boas da vida, a gratidão nos ajuda a sempre valorizar as circunstâncias positivas, e assim podemos continuar a extrair satisfação delas.

É uma forma de as pessoas apreciarem o que elas têm, em vez de sempre procurar algo novo, na esperança de que elas as tornem mais felizes, ou de pensar que não podem se sentir satisfeitas até que todas as necessidades físicas e materiais sejam atendidas.

Pessoas que cultivam a gratidão:

  • Dormem melhor e têm menos enxaquecas, problemas de pele, tosse e náuseas;
  • Experienciam menos raiva e amargura;
  • São mais bem-dispostas, otimistas e mais inclinadas a ajudar os outros;
  • Têm maior autoconfiança e autoestima e lidam melhor com estresse e traumas;
  • Desfrutam de relacionamentos interpessoais mais harmoniosos.

Parece óbvio que praticar a gratidão nos causa sensação de prazer e paz interior, mas o que acontece é que, na maioria das vezes, não temos o hábito de agradecer as coisas corriqueiras da vida.

Caímos numa rotina de exigências dos outros e nos acostumamos muito mais a reclamar do que agradecer.

Portanto, a minha proposta é incentivar você a desenvolver esse hábito que só exigirá um olhar diferenciado para o que já possui em sua vida, como, por exemplo:

  • O sorriso do seu filho;
  • A mensagem carinhosa do amigo;
  • O carinho sempre presente da mãe;
  • O trabalho que lhe dá o sustento;
  • A brisa no rosto;
  • A natureza sempre presente;
  • Seu cachorro que te recebe pulando…

Não custa muito transformar a interpretação do que lhe causou frustração em algo positivo.

Preste mais atenção no que aconteceu de bom no seu dia. E a cada acontecimento desagradável, descubra um aprendizado e logo a sua mente estará programada para prestar maior atenção às situações positivas da vida.

A  Neurociência traz contribuições importantes sobre o assunto, o que foi tema da última Aula ao Vivo, que faço todas as segundas-feiras, às 7h da manhã.

Assista aqui:

Pesquisas científicas apontam que a prática da gratidão traz benefícios físicos, psicológicos e sociais:

Físicos

  • Fortalecimento do sistema imunológico;
  • Menor incômodo por dores;
  • Baixa pressão arterial;
  • Pessoas gratas se exercitam mais e cuidam melhor da saúde;
  • Dormem mais e melhor e se sentem mais revigorados ao acordar.

Psicológicos

  • Pessoas gratas mantêm um nível superior de emoções positivas;
  • Estão sempre mais alertas, vivas e despertas;
  • Sentem mais alegria e prazer;
  • Demonstram maior otimismo e felicidade.

Sociais

  • Pessoas gratas se sentem mais úteis;
  • São mais generosas e têm maior compaixão pelo próximo;
  • São mais propensas a perdoar;
  • São melhores companhias;
  • E são menos solitárias e isoladas.

Que tal, então, fazer a sua lista de gratidão e ver como se sente?

“Se a única oração que você fizer durante toda sua vida for obrigado, isso já será o bastante.”

Meístre Eckhart, místico alemão.

Ah! Já ia me esquecendo… Sim, minha vida mudou para melhor e  tenho certeza que a das pessoas à minha volta também.

Aliás, quero expressar a minha eterna gratidão por estar comigo nesta jornada de autoconhecimento e fortalecimento emocional!

Autora: Wayne Valim

Especialista em Comportamento, Inteligência Emocional e Liderança

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

Por que é tão difícil mudar?

Se você pensar em tudo o que fez hoje, vai encontrar dezenas de atitudes que se repetem há anos na sua vida:

  • A maneira de se levantar;
  • Calçar o chinelo;
  • Escovar os dentes;
  • A quantidade de açúcar que coloca no café;
  • Como cumprimentou a pessoa do seu lado;
  • O seu tom de voz ao dizer “bom dia”, entre outros…

Chamamos esses costumes de HÁBITOS.

Os hábitos controlam grande parte de nossas vidas e influenciam o modo como agimos, pensamos, na forma com que nos relacionamos e até no jeito de buscarmos a nossa própria felicidade.

E ainda bem que temos tantos hábitos! Afinal, nosso cérebro busca sempre maneiras de poupar energia, e os hábitos são muito benéficos para isso.

Se fôssemos prestar atenção em tudo, em tudo mesmo, que fazemos no dia a dia, nosso cérebro precisaria ter uma capacidade de processamento muito maior.

Os hábitos, por sua vez, nos ajudam a padronizar o que deve ser feito.

Se, por um lado, é importante termos ações rotineiras que preservem a energia do cérebro, por outro, isso dificulta demais qualquer mudança que queiramos fazer.

E, convenhamos, ninguém gosta de gastar energia:

  • É mais confortável ficar no sofá do que fazer atividade física…
  • É muito mais gostoso pedir uma pizza do que preparar um prato saudável…
  • É muito melhor ficar ali assistindo a uma série emocionante do que ler um livro…

Realmente, não é fácil modificar nossos comportamentos.

Quanto mais tempo você estiver fazendo algo da mesma maneira, mais difícil será mudar.

Você conhece, por exemplo, pessoas que trabalham há mais de 10, 15 anos na mesma empresa, na mesma função, e, mesmo sendo infelizes lá, não buscam outro emprego?

Há também aqueles casais que moram há 20, 30 anos no mesmo endereço e, embora os filhos já tenham se casado e a casa agora ser enorme só para os dois, resistem em se mudar dali.

A mesma coisa somos nós fazendo coisas iguais todos os dias, por meses seguidos. E só se pode esperar resultados diferentes, se a conduta não for a mesma, concorda?

E mais: Quanto maior a energia a ser gasta, mais difícil é para mudar.

Estamos agora fazendo mudanças forçadas em nossa rotina e, pelo que tudo indica, estamos adquirindo novos hábitos nada saudáveis e “começando” de um jeito torto, que poderá custar muito caro para nós num futuro breve…

  • As pessoas estão começando a trabalhar mais cedo e ficando até mais tarde no home office;
  • Pararam de fazer atividades físicas;
  • Estão comendo mais, inclusive caindo em tentação alimentar com maior facilidade;
  • São mais horas conectados nas redes sociais;
  • Mais horas assistindo a séries, (Netflix ganha 16 milhões de assinantes no primeiro trimestre com a covid-19, um aumento de 23% em relação a 2019).

Estamos, nesse momento, definindo o nosso padrão de pensamento, de ação e até mesmo quem seremos nos próximos meses.

Se você se identifica com essa realidade e deseja fazer mudanças que tragam melhor qualidade para sua vida e de sua família, estas dicas são especiais para você:

1 – Analise a sua rotina

  • O que costuma consumir no seu café da manhã?
  • Quanto de água você toma?
  • Qual a quantidade de açúcar que usa no seu suco/café e outras bebidas?
  • Diante da ansiedade, o que ataca primeiro na geladeira?
  • Quando bate o cansaço, consegue se exercitar em casa?

As respostas serão importantes para entender como seu sistema funciona e como poderá lapidá-lo.

2 – Identifique os seus hábitos principais

  • Enumere cinco bons costumes e cinco maus hábitos;
  • Atente-se aos hábitos de pensamento, de atitude e os emocionais, por exemplo, “ficar ansioso quando leio notícias sobre a covid-19”.

3 – Escolha três maus hábitos que deseja profundamente mudar

Escolha aqueles que mais impedem você de progredir, de atingir suas metas.

4 – Identifique os gatilhos que disparam cada mau hábito

  • O chocolate visível?
  • O refrigerante na porta da geladeira?
  • A ansiedade?
  • A solidão?
  • O medo de errar?

Gatilhos mentais são as decisões que o cérebro toma “no piloto automático” e reconhecer cada um deles em nossos maus hábitos nos ajuda a traçar as melhores estratégias para transformá-los em atitudes melhores.

5 – Defina a sua estratégia para se livrar dos maus hábitos

Por exemplo: Se você, após um dia de trabalho, se deitar no sofá e se perder nas redes sociais, o gatilho pode ser o sofá.

Mas é possível planejar ações diferentes:

– Deixe um livro na mesa ao lado do sofá para ler quando se deitar e mantenha o controle remoto distante;

– Vá direto para o banho;

– Vista a roupa de ginástica antes de qualquer coisa.

Use a sua criatividade!

6 – Repita as novas rotinas todos os dias e se recompense

Repita a nova ação, treine todos os dias e, ao final de cada repetição, se recompense.

Quanto mais você treinar, mais fácil será transformar sua rotina em algo que aproxime o seu comportamento da pessoa que deseja se tornar.

A recompensa dará indícios ao seu cérebro de que vale a pena continuar praticando essa rotina.

Assim é que se muda um hábito!

Claro que, para isso, precisará de disciplina e persistência, mas, quando o novo hábito já estiver incorporado ao seu dia a dia, será natural e tranquilo para você e aquela força de vontade imensa do começo não será mais necessária.

Seja quem realmente deseja ser, consciente de que a mudança que tanto quer que aconteça virá por meio das suas escolhas e atitudes!

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

Alta Performance e Felicidade em meio à crise?

Nas últimas duas semanas, venho falando sobre Alta Performance e Felicidade, ao vivo, no YouTube (www.youtube.com/c/WaysupBr) e no Instagram (www.instagram.com/waynevalim) como forma de ajudar você neste momento difícil que estamos passando.

Ao abordar esse tema, a primeira reação das pessoas é exatamente essa: “O quê? Felicidade? Alta performance? Neste momento, não… Estamos apenas sobrevivendo…”

Se esse foi o seu pensamento ao ler o título desse texto, acredito que vale muito a pena você ler até o fim… (risos)

Vamos entender esses conceitos…

O que é Alta Performance?

É a capacidade do ser humano de ultrapassar o nível das habilidades usuais,
ir além do esperado, se esforçando ao máximo, com motivação, sem perder o equilíbrio, para atingir níveis superiores de desempenho em todas as áreas da vida.

Esse estado de superação se torna a maneira habitual de ser das pessoas de alta performance.

As pessoas de alta performance são altamente motivadas, estão dispostas a se aperfeiçoar constantemente e a buscar os objetivos mais ousados.

Elas, acima de tudo, possuem mindset de abundância, pois sabem que tudo o que desejam é possível a partir das próprias atitudes.

E o que é Felicidade?

Penso que não existe um único significado, pois a felicidade depende da pessoa que a vivencia e de que forma atinge esse estado.

Os cientistas a definem como “bem-estar subjetivo” – porque tudo depende de como nos sentimos em relação à nossa própria vida.

Outros referem-se à felicidade como um estado de espírito positivo no presente e uma perspectiva positiva para o futuro.

Martin Seligman, o pioneiro da psicologia positiva, a segmentou em três componentes mensuráveis: prazer, envolvimento e senso de propósito.

Aristóteles trouxe o conceito de eudaimonia, que não quer dizer exatamente “felicidade”, mas, sim, algo como “prosperidade humana”.

Shawn Achor, em seu livro O jeito Harvard de ser feliz, afirma que a felicidade não se restringe a carinhas sorridentes amarelas e arco-íris coloridos, mas, sim, à alegria que sentimos quando buscamos atingir nosso pleno potencial.

Barbara Fredrickson, pesquisadora da University of North Carolina e talvez a maior especialista do mundo sobre o tema, descreve as dez emoções positivas mais comuns: “alegria, gratidão, serenidade, interesse, esperança, orgulho, divertimento, inspiração, maravilhamento e amor”.

E você? Já parou para constituir a sua própria definição de felicidade?

Quando se recorda dos momentos mais felizes da sua vida, quem estava lá com você?

O que estava fazendo?

Quais emoções você sentiu?

Quando pesquiso, leio e releio os conceitos acima, posso dizer a você: É possível sim atingir a alta performance e a felicidade.

Talvez não da mesma forma que a imaginávamos há dois ou três meses…

Creio ser mesmo viável, mas é necessário reprogramar a nossa mente e revisar as nossas expectativas pessoais e profissionais.

Muitos de nós estamos trabalhando de casa, com maiores demandas, mas, se estivermos nos esforçando ao máximo, indo além do esperado, mantendo um estado de superação e motivação, estamos sim vivendo em alta performance.

Só precisamos mudar a régua, porque o cenário também mudou. Concorda?

Estamos diante de incertezas, medos, angústias, sofrimentos, mas, ainda assim, é possível sentir uma paz de espírito por continuar firme a jornada, por estar contribuindo, minimizando a dor de alguém, mantendo a nossa família em segurança ou, simplesmente, por acreditar e ter esperança.

Há outro ponto muito importante: cuidar de você! Portanto, alinhe corpo, mente, coração e espírito! São as quatro inteligências em movimento e que precisam de atenção!

Isso ajudará a manter a sua energia vital em equilíbrio e, assim, será capaz de contribuir mais com todos quantos dependem de você e se inspiram em seus exemplos.

Jim Loer e Tony Schwartz*, autores do livro The power of full engagement, reconhecidos mundialmente por suas contribuições no campo da psicologia da alta performance, escrevem:

“O engajamento total de cada um requer equilíbrio e aproveitamento das quatro fontes de energia separadas, porém relacionadas: físico, emocional, mental e espiritual”.

O desenvolvimento dessas inteligências vai trazer maior confiança, segurança, força interior e, ainda, aumentará sua coragem para tornar as mudanças desejadas mais concretas.

Afinal, somos um ser integral. Não se atinge a alta performance se esquecendo de uma ou de outra inteligência. Não é possível ser feliz agindo apenas em busca de sobrevivência. Somos algo muito maior.

Para que se sinta realmente em conexão com todas as áreas da vida e encontre a felicidade, é preciso olhar-se como ser integral em busca de um sentido maior da vida.

Espero que essas reflexões tragam maior motivação para você!

Compartilhe com os seus amados!

OBS.: Assista às duas aulas gratuitas, ao vivo, em que trato desse assunto:

1 – As 4 Inteligências da Alta Performance e da Felicidade: https://youtu.be/HfSTCwLxMDo

2 – A Influência da Inteligência Emocional na Inteligência Corporal: https://youtu.be/IzGbOSKw_Ug

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

A importância da linguagem corporal na autoconfiança

Convido você a parar tudo o que estiver fazendo e reparar na sua postura neste exato momento. Como você está sentada? Como estão seus pés e a posição dos seus braços? Sua expressão facial transmite autoconfiança? Ou desespero, cansaço, tédio?

Se alguém a visse agora, quais opiniões poderia formar com base na sua expressão corporal?

A maneira com que nos portamos traz um grande impacto na impressão que as pessoas têm de nós.

Sabia que a linguagem corporal também influencia a forma com que nos enxergamos?

Por exemplo: Você já viu um atleta cruzando a linha de chegada em primeiro lugar? Os braços para cima, o peito empinado, aquele ar de vitória e poder!

Agora imagine aquele dia em que você está superestressada e ainda não se sente preparada para aquela reunião no trabalho.

Quando não nos sentimos bem, tendemos a nos encolher, em busca de sentir protegidas, passando aquela imagem de medo e submissão.

De acordo com a psicóloga e professora da Universidade de Harvard, Amy Cuddy, as mulheres demonstram maior timidez. Nós, com frequência, nos sentimos menos poderosas que os homens e acabamos refletindo essa imagem em nossa linguagem corporal.

Pesquisas recentes das Universidades de Harvard, Oregon e Texas revelam que as grandes lideranças, além de dividirem mentalidades semelhantes, possuem níveis hormonais semelhantes!

Geralmente, essas pessoas possuem níveis mais altos de testosterona e mais baixo de cortisol.

O hormônio da testosterona está ligado ao sentimento de poder, tanto em homens quanto em mulheres. A baixa presença de cortisol no nosso corpo diminui a ansiedade, melhorando a capacidade do nosso corpo em lidar com o estresse.

Resumindo: níveis corretos de hormônios fazem com que você se sinta menos estressada, mais confiante e poderosa!

Como a linguagem corporal tem influência na sua autoconfiança?

Com o gerenciamento da linguagem corporal, conseguimos controlar a nossa postura em determinadas situações, enviando mensagens positivas ao nosso cérebro que reforçarão a presença de sentimentos positivos e a confiança.

Além disso, você consegue melhorar a própria comunicação alinhando o seu discurso com o que o seu corpo fala. Com isso, você irá aprimorar as relações e interações pessoais e, de quebra, desenvolver a autoconfiança por meio da postura corporal, controlando melhor seus sentimentos ao se apropriar de todas as formas de comunicação.

Será que poderíamos educar o nosso corpo para que possamos refletir uma imagem mais confiante?

Confira estas dicas:

  • Mantenha a coluna ereta

Manter a postura alinhada e reta reflete e ajuda nosso estado de espírito, transmitindo maior confiança e equilíbrio. Além disso, você evita dores musculares, na coluna e no pescoço. E mais: isso a ajuda a respirar melhor, já que essa posição dá uma maior abertura às vias aéreas, garantindo a respiração correta. Já levante os ombros AGORA e estique a sua coluna!

  • Pratique o “power posing” todos os dias

Amy Cuddy afirma que a prática da nossa expressão corporal, aliada às poses de poder (power posing), faz com que você se sinta mais poderosa e confiante!

Essa pose também é conhecida como “pose da mulher maravilha”! Se trata de ficar em pé, peito estufado, cabeça erguida e mãos nos quadris! Tente ficar nessa posição alguns minutos do seu dia e, se conseguir combinar essa pose com exercícios de respiração, isso lhe trará ótimos resultados!

  • Sorria mais

Sorrir tem um poder enorme para nos acalmar e liberar endorfina no nosso cérebro, nos deixando mais felizes, neutralizando os hormônios do estresse!

Logo quando acordar vá em frente do espelho e pratique o seu sorriso! Tente sorrir o mais natural possível.

  • Preste atenção nos seus braços e pernas

Cruzar os braços sugere que você se sente insegura ou fechada. Cruzar as pernas longe de outra pessoa pode sugerir desconforto com a situação ou então que você não gosta da pessoa.

Tocar os dedos e ficar com as pernas inquietas pode sinalizar que você está entediada, impaciente ou frustrada.

Mãos atrás das costas pode trazer uma impressão de que você está entediada, com raiva ou ansiosa.

Por isso, preste atenção nos seus sentimentos e na forma com que essas partes do corpo estão demonstrando o que você está sentindo. Com isso será possível gerenciar melhor qual imagem você quer passar em determinada situação.

  • Finja até conseguir

Se você quer ser uma profissional de sucesso, autoconfiante, segura, por exemplo, comece a agir como uma… se vista como uma, fale como uma!

Escolha uma pessoa que você tenha como referência, admire-a e comece a imitá-la.

Finja que você é aquela pessoa que quer ser… até que não precise mais fingir, porque já será a mulher de sucesso que deseja.

 

A autoconfiança é algo que podemos alcançar! Basta termos paciência e buscar desenvolvê-la todos os dias como um hábito. A linguagem corporal pode ajudá-la muito nesse processo!

Aceita o desafio?

Equipe WaysUp!

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

O Milagre da Manhã no Home Office

Na última Live, eu abordei os hábitos matinais mais poderosos para criar energia e ter um dia produtivo e de Alta Performance.

Falei também da importância de adaptá-los ao Home Office, tornando o Milagre da Manhã* essencial para a nossa energia mental, corporal e emocional no enfrentamento dos momentos difíceis.

Como prometi, estou encaminhando aqui o passo a passo desse Ritual LIFE com uma sugestão de cronograma.

Imprima-o e coloque em lugar visível até que crie os hábitos.

Se necessário, ajuste-o à sua realidade.

MEU Ritual LIFE em 9 passos:

Ritual 1 – Acordar cedo e tomar um copo com água em jejum.

Ritual 2 – Visualizar o positivo e postura de vitória – 2 minutos

Ritual 3 – Arrumar a sua cama – 3 minutos

Ritual 4 – Meditar – de 5 a 10 minutos

Ritual 5 – Fazer a oração da manhã – 3 minutos

Ritual 6 – Afirmações positivas – 3 minutos

Ritual 7 – Café da manhã saudável – 15 minutos

Ritual 8 – Atividade físicas aeróbicas – 20 minutos

Ritual 9 – Planejamento do dia –15 minutos

Alguns exemplos de Afirmações Positivas:

  • Ao final do dia de hoje quero me sentir feliz por ter cumprido 80% das atividades; (Dizer como quer se sentir ao final do dia vai te trazer um direcionamento para suas atividades)
  • Sou capaz e hoje vou realizar todas as minhas atividades com muito energia positiva;
  • Eu amo o que faço e hoje será um dia de muitas conquistas;
  • Hoje, eu serei melhor do que ontem e vou continuar progredindo;
  • Amo a vida que tenho e estou empenhada/o em criar a vida que eu mereço;
  • Sinto gratidão por tudo que eu tenho e luto por tudo que desejo;
  • Hoje será mais um dia de oportunidades para atingir os meus objetivos;

Você poderá criar as suas afirmações tendo em mente os seus objetivos, o porquê de alcançá-los e como se compromete a criar a vida que merece e deseja.

Os demais hábitos do Ritual LIFE

Os demais rituais que fazem parte do ritual LIFE também devem fazer parte do seu dia:

1 – Tomar pelo menos 2 litros de água por dia – Distribua ao longo do seu dia

2 – Alimentação saudável – cuidando sempre com o que consome, mas não pule refeições e lembre-se dos intervalos. Carregue sempre consigo frutas secas e castanhas para não ficar muito tempo com fome.

3 – Sono – Como agora já percebeu como a sua manhã é importante, vá para a cama no horário devido, para que tenha uma boa noite de descanso e consiga acordar no seu horário planejado.

Por fim, lembre-se, a partir de agora, o seu compromisso é com você!

Siga persistente, porque cada etapa do Ritual LIFE é um passo adiante que te aproxima das suas metas e objetivos!

Seja a pessoa que deseja e merece ser!

Obs.: Caso você queira entender cada etapa do ritual, assista à LIVE no YouTube: https://youtu.be/ZLl2pb-c6S8

* Inspiração: Livro “O Milagre da Manhã”, de Hal Elrod.

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

O que aprendi como líder de Tecnologia da Informação

Durante os meus 18 anos em Tecnologia da Informação (TI) e 14 anos em liderança cometi muitos erros, mas também tive muitas vitórias, conquistas e aprendizados.

Parei hoje para refletir um pouco sobre alguns pontos que julgo fundamentais numa liderança de TI e talvez essas lições aprendidas possam também fazer sentido para você.

Vamos, então, às 7 lições aprendidas na liderança de TI:

1 – Medo de errar

A coragem não é a ausência de medo, mas a firmeza de ânimo e resiliência diante dos perigos e reveses da vida.

O líder que não sabe aprender com os erros, próprios e da equipe, se afunda em emoções negativas, não avança, não inova. E tecnologia sem inovação é falência.

2 – Cada pessoa é única

Mesmo os colaboradores mais difíceis de lidar, sensíveis demais, reativos, são passíveis de mudança e de contribuição.

É preciso saber tocar a “nota” certa, ouvir o coração e a mente de cada um.

Mas investir em quem não quer aprender nem evoluir é tirar a oportunidade dessa pessoa de ser feliz em outro setor ou empresa.

3 – Criar aliados

Proteger-se dos conflitos, cercar a equipe e se fechar na área exclui o líder das tomadas de decisão mais estratégicas.

É preciso dar a cara a tapa e se mostrar.

Quem não se expõe não se conecta.

4 – Perfeccionismo

Existe uma área na TI responsável por encontrar os erros e garantir a qualidade.

A excelência é fundamental, mas o perfeccionismo no microgerenciamento traz sobrecarga, cansaço, afasta as pessoas e inibe a equipe de querer fazer.

5 – Síndrome da impostora

A crença profunda e, às vezes, paralisante de que não conquistamos nem merecemos estar onde estamos nos faz retroagir, nos cega para as oportunidades e, igualmente, diminui o valor de todos os integrantes da equipe.

6 – Lidar com as emoções

Trabalhar na área da tecnologia não significa ser racional e lógico(a) o tempo todo.

A Inteligência Artificial está aí para nos mostrar como aprender com os padrões.

Somos seres guiados pelas emoções e aprender a lidar com elas, sejam as próprias, sejam as dos gestores ou da equipe é crucial para a sobrevivência em uma área de tamanha complexidade e mudanças tão rápidas.

7 – Não saia por ninguém

Certa vez, ouvi do meu mentor: “Jamais tome a decisão de sair de uma empresa por causa de outra pessoa”. Amanhã, ela pode não estar mais lá, e você perdeu uma excelente oportunidade.

Sabe, ao longo dessa jornada, enfrentei dificuldades, escassez de oportunidades, lidei com as difíceis escolhas, ambientes complexos, constantes pressões, mas olho para trás e tenho um imenso orgulho do que construí e de como formei uma rede de apoio para conseguir a ascensão na minha carreira, sendo também mãe e esposa dedicada.

Tive medo, pensei em desistir muitas vezes, mas segui e hoje faço de todo esse aprendizado algo que acredito ser o mais nobre do ser humano: Compartilhar conhecimento, ajudar outras pessoas a também crescerem e avançarem, a liderarem com o coração e, de maneira corajosa, apresentarem resultados consistentes por meio de uma equipe forte e unida.

Por isso, criei o Programa de Mentoria e Formação de Mulheres Líderes de TI com o objetivo de formar profissionais capazes de trabalhar sob pressão, atuar em ambientes complexos e liderar times multifuncionais em Tecnologia da Informação!

Acesse este link e conheça o programa:

http://cursos.waysup.com.br/mulher-de-tecnologia

Autora: Wayne Valim

Especialista em Comportamento, Inteligência Emocional e Liderança

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

Você não precisa fazer tudo [email protected] 

Algo curioso tem me chamado atenção ultimamente: um grande número de pessoas sobrecarregadas no trabalho ou por conta dos diversos papéis da vida, entrando em estado crítico de estresse e de desmotivação.

As consequências mais graves disso são o sofrimento causado pelo exagero de atividades e o desequilíbrio emocional que tem impacto direto na qualidade de vida das pessoas.

Sofrer por sentir-se sobrecarregado não traz benefício a ninguém. Nem para quem sofre nem para os que estão à sua volta.

Há uma pressão insana interna e também externa cobrando por resultados.  Aguentar até quando puder é o lema da maioria das pessoas nessa situação.

Quanto mais demoramos para pedir ajuda, mais difícil será reverter a situação. 

Mas eu entendo por que as pessoas deixam chegar a esse ponto.

O fato é que ninguém reserva um tempo para si.

A própria carga de problemas, de trabalho e de atividades é tão grande que geralmente só buscamos ajuda:

  • Quando nos sentimos infelizes com o trabalho, ou
  • Quando recebemos um feedback negativo de alguém; ou
  • Quando perdemos uma oportunidade de trabalho; ou então…
  • Entramos em processo de desmotivação, estresse, ansiedade tão grande que essa condição acaba afetando a nossa saúde…

O problema é que a maioria de nós pensa que esse cenário irá se resolver por si só e vai levando os acontecimentos até quando der, até onde conseguir, tentando ser forte… aliás, exigindo de si mesmo uma valentia hercúlea.

Mas a gente se esquece de que, se correr atrás disso após o esgotamento, a recuperação se torna muito mais penosa, porque será necessário lidar também com o desgaste emocional, que estará abalado e desequilibrado. E o resultado demora muito mais a surgir…

Acompanho isso de perto com diversas pessoas que chegam até mim buscando ajuda, muitos em condições de desmotivação, estresse e até mesmo com desequilíbrio total entre todas as áreas da vida…

Nessas situações, as melhorias demoram muito mais a surgir, porque é preciso resgatar primeiro a energia e a disposição da pessoa e só depois direcionar o desenvolvimento para a busca de metas e resultados.

Sabendo disso, preparei dicas cruciais para que possa agir com proatividade em relação a você e não deixe chegar ao fundo do poço para só então buscar ajuda.

Vamos na ordem!

1 – De onde vem a sobrecarga?

  • Do seu trabalho, de casa? 
  • Quem está impondo essa sobrecarga a você? 
  • Seu chefe, os colegas, os filhos, a condição financeira ou você mesmo(a)?

Antes de pedir ajuda é importante entender por que você precisa e de onde vêm as maiores exigências. Isso será fundamental para seguir para o próximo passo.

2 – Tenha clareza de qual tipo de ajuda você precisa

  • Se vem do trabalho, converse com a equipe, com o chefe e sugira uma reavaliação das prioridades;
  • Se a origem é da família ou dos filhos, que tal fazer uma reunião e dividir as tarefas de casa?
  • Se vem de você, as próximas dicas serão especiais nesse caso…

3 – Faça uma lista de tudo que tem para fazer nesta semana. 

  • O que pode ser excluído de imediato?
  • Faça um OLX: Desapegue! (risos)

“Decidir o que não fazer é tão ou mais importante do que decidir o que fazer.” Steve Jobs

4 – O que pode delegar? 

Esqueça aquela velha mania de achar que não tem ninguém que vai fazer igual a você. 

A verdade é que não vai fazer mesmo, mas e se essa pessoa fizer melhor? 

Por que está exigindo tanta perfeição?

Fazer com perfeição é importante, mas será que tudo precisa ser assim?

5 – Pare de aceitar todos os pedidos. Aprenda a dizer não com gentileza. 

Postei dois vídeos meus no YouTube que ensinam isso:

  • “Uma das melhores maneiras de dizer não”: https://youtu.be/YlAdio1ID0M
  • “Como focar no que é importante”: https://youtu.be/RHlfZD4N2Yg

6 – Priorize as três atividades mais importantes

  • Quais são as 3 prioridades do seu dia que não poderá voltar para casa sem finalizá-las?
  • Comece o seu dia por elas!

7 – Mesmo assim, a carga está difícil?

Busque ajuda profissional! Seja por meio das terapias, coaching, mentoring, treinamento, mas não espere entrar no estado crítico.

Platão dizia que a melhor coisa que podemos fazer por aqueles que amamos é nos tornar melhores como seres humanos, porque só assim teremos realmente algo a dar a eles.

Portanto, é hora de cuidar de você!

Tendo em vista que aplico técnicas de coaching em todos os trabalhos que faço, achei por bem trazer um pouco mais de conhecimento sobre essa metodologia e qual é a diferença entre ela e os demais programas.

A Federação Internacional de Coaching distingue coaching das outras abordagens similares da seguinte maneira*:

A Terapia lida com a cura da dor, disfunção e conflito no indivíduo ou nos relacionamentos. Foca-se em resolver as dificuldades que surgem do passado e em aprimorar o preparo psicológico para aprender a lidar com o presente de maneira emocionalmente saudável.

Já o Coaching tem seu foco no futuro. Embora sentimentos e emoções positivas sejam normalmente um resultado natural do coaching, o foco principal é criar estratégias de ação para atingir objetivos específicos na vida profissional ou pessoal. A ênfase do Coaching está na ação, na avaliação e no acompanhamento.

Mentoria (Mentoring) é realizada por um especialista que fornece conhecimento e orientação com base em sua própria experiência. A Mentoria pode incluir orientação, terapia, aconselhamento e coaching.

Coaching não inclui terapia nem aconselhamento e concentra-se nos indivíduos ou grupos, estabelecendo e atingindo os objetivos do próprio indivíduo.

Treinamento segue um caminho linear de aprendizagem que coincide com um currículo pré-estabelecido.

Coaching é menos linear e não possui currículo pré-estabelecido. Embora os objetivos sejam esclarecidos durante o processo, eles são firmados pelo próprio indivíduo ou equipe.

Pedir ajudar não irá prejudicar a sua imagem!

Pedir ajuda pode mostrar muito mais sua força do que fraqueza. Essa atitude mostra que você está se esforçando para conseguir o melhor resultado e, consequentemente, os interesses da empresa.

Você corre o risco de ter uma imagem prejudicada caso faça apenas reclamações, admitindo a seu chefe que não consegue realizar seu trabalho ou então quando se fecha com as inúmeras atividades a serem feitas, prejudicando seus relacionamentos.

Portanto, quando decidir conversar com as pessoas sobre a sua situação não vá apenas bater na porta para dizer o quanto você está sobrecarregado, conduza a situação de uma forma que mostre o quanto quer se adequar e se preparar para realizar seu trabalho de maneira eficaz.

* Por Kitty McConnell

Fonte: http://www.columbusceo.com/content/stories/2015/05/executive-coaching-defined.html

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

A importância do autoconhecimento para empreender.

Hoje é indiscutível a importância do autoconhecimento para ter um negócio. Você chegou até aqui com um pensamento fixo de mudar a sua história e transformar os rumos de sua família, e tem um certo capital para investir na sua inspiração, certo?

Sim, as nossas ideias possuem sempre as melhores intenções, mas será que apenas isso é o suficiente? Uma boa empreendedora precisa tão somente de sua positividade e característica desbravadora?

É sempre bom sermos otimistas e ousadas em um mercado competitivo, mas existem detalhes que fazem toda a diferença entre o sucesso e a derrocada de um empreendimento.

As duas questões para a empreendedora.

Você está preparada para a pressão que um ambiente de negócios pode proporcionar? Os seus desejos de empreender estão ligados aos seus motivos ou motivações? Essas perguntas são as chaves para um começo promissor, muitas vezes a cautela é a melhor estratégia.

Potencial e direcionamento

De maneira alguma quero desconstruir os laços afetivos que você possa ter com o seu negócio, tenho a sensibilidade para entender que os sentimentos muitas vezes servem como força motriz para deslanchar os negócios, embora a minha obrigação também passe por orienta-la nas melhores tomadas de decisões.

Você tem um determinado recurso para investir, mas não sabe muito bem o segmento de negócios que está em alta no mercado, nesse cenário você precisa passar por três peneiras analíticas:

  1. Você tem potencial para o ramo desejado?
  2. Suas ambições são lúcidas ou exageradas?
  3. O seu capital para investimento é o suficiente?

Conseguiu passar por essas três peneiras? Perfeito, muito provavelmente você está elegível para empreender, agora, se algum desses três itens atingiu profundamente o seu íntimo, esse já é um importante sinal para repensar no seu investimento.

Precisamos ter a consciência que a felicidade está relacionada com as nossas potencialidades. Trabalhar com o que gostamos, já é 50% para um empreendimento de sucesso.

Parcerias

Sem sombra de dúvidas uma boa parceria facilita muito o andamento de um negócio, bons empreendedores que firmam sociedade precisam ter pensamentos alinhados. Quando os pensamentos desalinham e as atitudes da sua parceria começam a soar estranhas para você, talvez seja um indicativo que essa sociedade precisa ser revista ou até mesmo cada um seguir o seu caminho sem que as partes sejam prejudicadas.

O autoconhecimento é um signo para o sucesso, seja para os empreendimentos no mundo dos negócios, seja para vida. Se você se identificou com esse texto, curte e compartilha para que mais pessoas reflitam a respeito de empreender.

PS.: Esse tema é muito discutimo em nosso grupo Mulher Líder Coach. Se quiser saber um pouco mais, clique aquihttp://www.waysup.com.br/mulher-lider/

Artigo extraído e adaptado de A Empreendedora.

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

 

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

9 coisas que mulheres bem-sucedidas nunca fazem

LaRae Quy era, quase sempre, a única agente feminina do FBI em seu esquadrão. Ela descobriu – em meio às mais diversas situações e circunstâncias – a ser bem-sucedida. Mas, mais importante do que isso, é que ela também aprendeu o que não fazer se quisesse competir em um ambiente tipicamente masculino.

LaRae conta que entendeu que ser bem-sucedida estava diretamente ligado às escolhas que faz. Com frequência, foi a opção de se jogar em alta velocidade em vez de se apoiar em alguém para ganhar um impulso.

Enquanto cada mulher tem sua própria definição de sucesso, veja 9 coisas que profissionais bem-sucedidas nunca fazem:

1. Mulheres bem-sucedidas não ignoram seus medos

Se você quer mudar e seguir adiante, é preciso enfrentar os seus medos de frente. Nunca gaste uma energia valiosa tentando evitá-los. Em vez disso, use determinação mental para lidar com seus pensamentos, emoções e comportamentos de maneiras que irão te preparar para o sucesso nos negócios e na vida.

Reprimir um sentimento negativo apenas o fortalece, abastece os medos e atrasa a evolução. Na verdade, tentar controlar alguma coisa que tememos aumenta a probabilidade de ela acontecer.

2. Mulheres bem-sucedidas nunca fogem do conflito

“Como um agente feminino do FBI, eu enfrentei conflitos, críticas e injustiças – assim como todos os outros agentes. A diferença é que eu não me acovardei para tentar evitar ter esses sentimentos negativos de novo”, afirma LaraRae.

Pessoas que evitam conflitos assumem que eles sempre são agressivos e desrespeitosos. Isso não é verdade, pois um embate pode surgir camuflado de muitas maneiras. Nós precisamos estar alertas para qualquer comportamento alheio que tenha como objetivo manipular nossas emoções ou pensamentos. Uma vez que reconhecemos o conflito pelo que ele é, nós podemos escolher como responder a ele em vez de reagir com medo ou ignorância.

3. Mulheres bem-sucedidas nunca escutam suas críticas internas

LaraRae conta que precisava diminuir críticas interiores e eliminar as vozes de dúvida e ansiedade. “Eu fiz isso ao focar minha atenção nos feedbacks positivos e nas críticas construtivas.”

A determinação mental é capaz de controlar os nossos pensamentos e de não deixar que nossa mente nos controle. O ponto crucial é aprender a administrar suas emoções com uma conversa consigo mesmo e a usar palavras corretas e positivas ao controlar seus pensamentos.

4. Mulheres bem-sucedidas nunca esperam circunstâncias perfeitas

Esqueça a ideia de encontrar o emprego perfeito ou melhores condições para avançar. Aprenda a diferenciar a dor de crescer e a dor de sofrer.

É fácil dizer que as condições são desfavoráveis, nada vai do jeito que você gostaria e que você está do lado errado. Tudo isso são desculpas.

Utilize o que está a sua disposição para continuar seguindo em frente – pegue uma dica do MacGyver (famoso personagem de uma série norte-americana dos anos 1980 que conseguia resolver qualquer problema) e tire o melhor proveito da situação. A determinação mental está aproximando circunstâncias iminentes com a perspectiva correta – e não esperando um descanso.

5. Mulheres bem-sucedidas nunca olham para seu passado como um erro

“Eu cometi muitos erros quando estava começando. Às vezes era vergonhoso, mas eu jurei aprender com cada um deles”, afirma LaraRae.

Alguns erros do nosso passado podem ser dolorosos, mas, em vez de ficar se lamentando, encare-os como oportunidades de aprender algo que você não sabia até acontecer. Fique perto de amigos e colegas que cometeram erros – você também pode aprender com eles.

O passado não nos define, ele simplesmente nos prepara para nossa jornada em direção ao sucesso e à sabedoria.

6. Mulheres bem-sucedidas nunca perdem a oportunidade de brilhar

LaraRae conta que, muitas vezes, a melhor maneira de alcançar o sucesso é fazer o que os outros estão evitando.

Identifique aquelas coisas que as outras pessoas hesitam em assumir. Pode ser algo pequeno e simples – não importa. Seja o que for, faça bem feito e você irá, instantaneamente, se diferenciar dos outros.

Depois, siga adiante, pois você nunca sabe onde pode parar – frequentemente, nós não sabemos que oportunidades irão aparecer até estejamos bem perto delas.

7. Mulheres bem-sucedida nunca falham em manter-se calma

LaraRae conta que não importava a situação, ela sabia que tinha total controle de sua vida. “Uma das minhas frases preferidas é do santo Inácio de Loyola: ‘Reze como se Deus fosse tomar conta de tudo; aja como se estivesse tudo por sua conta”.

Muitas pessoas criam desculpas para si mesmas ao dizer que a sorte determina se elas são bem-sucedidas ou não. Líderes mentalmente fortes estão no controle de sua própria sorte, pois eles olham o sucesso e os erros como algo que estão sob seu controle. Sorte talvez tenha algum papel nas circunstâncias atuais, mas essas pessoas não desperdiçam energia se preocupando sobre o que pode acontecer.

Controle sua própria sorte ao tirar proveito de oportunidades para melhorar sua vida e sua situação. O resultado será uma chance ou um arrependimento por um caminho não seguido.

8. Mulheres bem-sucedidas nunca falham em suas pesquisas

“Quando eu entrevistava um suspeito, eu me certificava de que sabia sobre o que estava falando”, conta a ex-agente.

Quando você está conhecendo seus potenciais investidores, clientes ou consumidores, se certifique que você sabe exatamente do que está falando – saiba onde estão as minas terrestres antes de abrir a boca. Faça sua lição de casa; seja polida, disposta e preparada.

9. Mulheres bem-sucedidas nunca desistem

“Não importa o quão difícil era investigação. “Eu desisto’ foi a única frase que eu nunca ouvi em 24 anos no FBI”, relata LaraRae.

Quando você diz “desisto” ou “não posso”, está sacrificando a posse e o controle sobre sua atitude e comportamento. Isso mostra que você criou seus próprios limites. Quando você diz que desiste, você está mandando uma mensagem sobre seu medo de falhar e a ausência de coragem em testar seus limites.

Artigo extraído e adaptado de Forbes.

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

 

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

 

Bancos com mais mulheres na diretoria são mais rentáveis

Estudos já confirmaram que a diversidade no ambiente de trabalho traz resultados financeiros positivos para as empresas. Se você ainda não acredita nisso, uma nova pesquisa publicada pelo Banco da Inglaterra sugere que quando há mais mulheres na diretoria, os bancos são mais rentáveis. No estudo, as economistas Ann Owen e Judit Temesvary demonstram que há uma relação entre igualdade de gênero e resultado financeiro. No entanto, isso só acontece se a instituição já tem políticas de igualdade – ou seja, pouco adiantaria se um banco até então dominado por homens colocasse mulheres na diretoria sem fazer nenhuma alteração na cultura da empresa.

“Em bancos bem gerenciados, a diversidade de gênero tem um impacto positivo no desempenho – mas apenas depois de alcançado determinado nível de igualdade”, dizem as pesquisadoras. De acordo com o estudo, a porcentagem de mulheres nos bancos norte-americanos vai caindo conforme se sobe na escada corporativa: elas representam 56,7% de todos os funcionários, 48% dos cargos de média gerência e 30,8% entre os executivos de nível sênior ou gerentes.

Mas, afinal, como a divisão entre homens e mulheres nas diretorias pode afetar o balanço de um banco? Há duas explicações. A primeira é que as mulheres têm mais chances de contribuir com experiência em determinadas áreas – ou seja, quando há mais mulheres na diretoria, é mais provável que o grupo tenha certas características, como experiência em recursos humanos ou em governança pública. Então, com um leque mais diverso de experiências, a tomada de decisão pode ser mais correta. Além disso, há uma relação entre participação feminina mais alta e menor probabilidade de reguladores tomarem ações contra o banco – o que sugere que a maior diversidade aumenta o controle e gerência nas instituições financeiras.

A segunda explicação é que a diversidade em si tem um impacto. Estudos anteriores mostraram que a diversidade está associada à maior criatividade e produtividade dentro das empresas. Isso só ocorre, contudo, se a cultura da empresa é preparada para a diversidade e se a participação de mulheres dentro da companhia é alta – as mulheres tendem a se expressar com mais frequência quando a participação feminina no grupo aumenta.

Para evitar atribuir à diversidade de gênero um efeito causado por algo relacionado à diversidade de outras características, as pesquisadoras incluíram diversas variáveis em suas estimativas, como idade, participação no conselho ou patrimônio. Uma das possibilidades é que os resultados financeiros ruins estejam relacionados à falta de diversidade – ou bancos de melhor gestão têm em comum a busca por maior diversidade. Para fazer o estudo, as autoras utilizaram dados de 87 bancos dos Estados Unidos entre 1999 e 2015.

“Nossos resultados mostram evidências de ambas hipóteses”, escrevem as economistas. “A maior equidade de gênero tem impacto positivo em várias medidas de desempenho uma vez que certo limiar de diversidade tenha sido alcançado”, dizem. “Por outro lado, a falta de diversidade tem um impacto negativo nessas mesmas medidas de desempenho.”

Artigo extraído e adaptado de Época Negócios.

_____________________________

Gostou? Compartilhe:

 

botão newsletter
Curta nossas redes sociais: