Por que é tão difícil mudar?

Se você pensar em tudo o que fez hoje, vai encontrar dezenas de atitudes que se repetem há anos na sua vida:

  • A maneira de se levantar;
  • Calçar o chinelo;
  • Escovar os dentes;
  • A quantidade de açúcar que coloca no café;
  • Como cumprimentou a pessoa do seu lado;
  • O seu tom de voz ao dizer “bom dia”, entre outros…

Chamamos esses costumes de HÁBITOS.

Os hábitos controlam grande parte de nossas vidas e influenciam o modo como agimos, pensamos, na forma com que nos relacionamos e até no jeito de buscarmos a nossa própria felicidade.

E ainda bem que temos tantos hábitos! Afinal, nosso cérebro busca sempre maneiras de poupar energia, e os hábitos são muito benéficos para isso.

Se fôssemos prestar atenção em tudo, em tudo mesmo, que fazemos no dia a dia, nosso cérebro precisaria ter uma capacidade de processamento muito maior.

Os hábitos, por sua vez, nos ajudam a padronizar o que deve ser feito.

Se, por um lado, é importante termos ações rotineiras que preservem a energia do cérebro, por outro, isso dificulta demais qualquer mudança que queiramos fazer.

E, convenhamos, ninguém gosta de gastar energia:

  • É mais confortável ficar no sofá do que fazer atividade física…
  • É muito mais gostoso pedir uma pizza do que preparar um prato saudável…
  • É muito melhor ficar ali assistindo a uma série emocionante do que ler um livro…

Realmente, não é fácil modificar nossos comportamentos.

Quanto mais tempo você estiver fazendo algo da mesma maneira, mais difícil será mudar.

Você conhece, por exemplo, pessoas que trabalham há mais de 10, 15 anos na mesma empresa, na mesma função, e, mesmo sendo infelizes lá, não buscam outro emprego?

Há também aqueles casais que moram há 20, 30 anos no mesmo endereço e, embora os filhos já tenham se casado e a casa agora ser enorme só para os dois, resistem em se mudar dali.

A mesma coisa somos nós fazendo coisas iguais todos os dias, por meses seguidos. E só se pode esperar resultados diferentes, se a conduta não for a mesma, concorda?

E mais: Quanto maior a energia a ser gasta, mais difícil é para mudar.

Estamos agora fazendo mudanças forçadas em nossa rotina e, pelo que tudo indica, estamos adquirindo novos hábitos nada saudáveis e “começando” de um jeito torto, que poderá custar muito caro para nós num futuro breve…

  • As pessoas estão começando a trabalhar mais cedo e ficando até mais tarde no home office;
  • Pararam de fazer atividades físicas;
  • Estão comendo mais, inclusive caindo em tentação alimentar com maior facilidade;
  • São mais horas conectados nas redes sociais;
  • Mais horas assistindo a séries, (Netflix ganha 16 milhões de assinantes no primeiro trimestre com a covid-19, um aumento de 23% em relação a 2019).

Estamos, nesse momento, definindo o nosso padrão de pensamento, de ação e até mesmo quem seremos nos próximos meses.

Se você se identifica com essa realidade e deseja fazer mudanças que tragam melhor qualidade para sua vida e de sua família, estas dicas são especiais para você:

1 – Analise a sua rotina

  • O que costuma consumir no seu café da manhã?
  • Quanto de água você toma?
  • Qual a quantidade de açúcar que usa no seu suco/café e outras bebidas?
  • Diante da ansiedade, o que ataca primeiro na geladeira?
  • Quando bate o cansaço, consegue se exercitar em casa?

As respostas serão importantes para entender como seu sistema funciona e como poderá lapidá-lo.

2 – Identifique os seus hábitos principais

  • Enumere cinco bons costumes e cinco maus hábitos;
  • Atente-se aos hábitos de pensamento, de atitude e os emocionais, por exemplo, “ficar ansioso quando leio notícias sobre a covid-19”.

3 – Escolha três maus hábitos que deseja profundamente mudar

Escolha aqueles que mais impedem você de progredir, de atingir suas metas.

4 – Identifique os gatilhos que disparam cada mau hábito

  • O chocolate visível?
  • O refrigerante na porta da geladeira?
  • A ansiedade?
  • A solidão?
  • O medo de errar?

Gatilhos mentais são as decisões que o cérebro toma “no piloto automático” e reconhecer cada um deles em nossos maus hábitos nos ajuda a traçar as melhores estratégias para transformá-los em atitudes melhores.

5 – Defina a sua estratégia para se livrar dos maus hábitos

Por exemplo: Se você, após um dia de trabalho, se deitar no sofá e se perder nas redes sociais, o gatilho pode ser o sofá.

Mas é possível planejar ações diferentes:

– Deixe um livro na mesa ao lado do sofá para ler quando se deitar e mantenha o controle remoto distante;

– Vá direto para o banho;

– Vista a roupa de ginástica antes de qualquer coisa.

Use a sua criatividade!

6 – Repita as novas rotinas todos os dias e se recompense

Repita a nova ação, treine todos os dias e, ao final de cada repetição, se recompense.

Quanto mais você treinar, mais fácil será transformar sua rotina em algo que aproxime o seu comportamento da pessoa que deseja se tornar.

A recompensa dará indícios ao seu cérebro de que vale a pena continuar praticando essa rotina.

Assim é que se muda um hábito!

Claro que, para isso, precisará de disciplina e persistência, mas, quando o novo hábito já estiver incorporado ao seu dia a dia, será natural e tranquilo para você e aquela força de vontade imensa do começo não será mais necessária.

Seja quem realmente deseja ser, consciente de que a mudança que tanto quer que aconteça virá por meio das suas escolhas e atitudes!

Gostou? Compartilhe:

botão newsletter
Curta nossas redes sociais:

 

Conteúdo Relacionado